Schloss Schonbrunn

Metro U4 direto até um dos lugares mais lindos de Viena: O Palácio de Schönbrunn. Este foi completado em 1700 e possui, além do Palácio propriamente dito, um jardim enorme, com diversas ruinas romanas, onde no ponto mais alto temos “La Gloriete”, com uma belíssima vista da região e também o mais antigo zoológico do mundo, entre outras atrações.

Schonnbrunn

Schonnbrunn

Para visitar, você pode comprar um conjunto de entradas, ou estas em separado. No site http://www.schoenbrunn.at/en/home.html há preços atualizados e as diversas opções.

PALÁCIO

O palácio conta com absurdos 1441 quartos, e recomendo muito fazer o gran tour, que visita 40 destes quartos (há um tour menor, mas me deu a sensação de ficar com gosto de ‘quero mais’). Também pegue o audio-guide, como sempre muito bom e incluido no ingresso. Ali vemos quartos onde Sissi foi muito importante também, também interessante para nós é o quarto de Maria Tereza, mãe de nossa Imperatriz Leopoldina, esposa de D. Pedro I – e também de Maria Antonieta. Outro lugar que tem muita história é onde Mozart tocou pela primeira vez ao imperador, quando tinha 6 anos de idade e já era um gênio. Também um que foi ocupado por Napoleão, quando este ocupou a Áustria. Enfim, há muita história que ocorreu neste palácio e este merece muito uma visita.

Quarto do palacio

Quarto do palacio

O detalhe: estes dias que estive em Viena estavam muito, mas muito quentes (e vendo que enquanto escrevo está caindo uma das piores nevascas em muito tempo na região mostra o quanto a Europa tem climas extremos). Pois bem, este calor todo, com tanto turista e sem ar condicionado, dá desespero de vez em quando. E faz pensar em como a gente é privilegiado hoje: mesmo com toda a pompa, estando em 1 dos palácios da maior corte européia, eles deviam sofrer muito com este calor tão grande – enquanto hoje facilmente temos o ar condicionado para resolver este problema na maior parte dos lugares.

LA GLORIETE

Saindo do Palácio, acompanhe o lindo jardim onde no centro tem uma belíssima fonte (Neptunbrunnen) na metade do caminho até a Gloriete. Minha subida até lá foi bastante engraçada… estava muito sol, já perto do meio-dia. O que muita gente fazia, e eu não fui diferente, é ir seguindo pela direita do jardim, pela sombra – ia devagar enquanto estava na sombra, para aproveitar o máximo; acabavam as árvores, pegava um fôlego e ia quase correndo pelo sol até a próxima sompra – muito sem noção… neste ritmo demorou um pouco até chegar lá em cima, mas conseguimos todos 🙂

Se você chegar até lá num dia com tanto sol, pode faltar coragem para subir. Pois arrume forças: a vista lá de cima, do ponto mais alto da região, é simplesmente linda. Você consegue ver todo o jardim até o palácio, e ao fundo a cidade – é um contraste que vale demais a pena estes últimos degraus.

Vista da Gloriete

Vista da Gloriete

PENSANDO EM FILMES

Na volta, estava já pensando em ir embora, mas a lembrança da minha amiga Lais não me permitiu. A Lais é uma amiga que conheci junto a um bom grupo no mundo virtual com o cinema como ponto em comum – que se tornaram amigos também no mundo real, ao ponto de vários terem vindo até em meu casamento, que já tem 5 anos. Pois bem: ela foi em 2009 para Viena e Praga, como tem um blog com diversos assuntos, contou a história da sua viagem. O detalhe mais importante: a menina escreve bem prá caramba (não à toa é jornalista). Assim, digo que quem gosta do assunto, vá correndo prá lá- o link do primeiro post da viagem é este

Mas porque isto? Porque como bom cinéfilo (foi deste gosto que o grupo começou a amizade virtual), as histórias de brincar de Harry Potter e O Iluminado dentro do labirinto em Schonbrunn não saiam da minha lembrança – assim, por mais medo de labirintos que eu tenha (culpa exatamente de O Iluminado e outros filmes), não teve jeito, e tive que ir ao Labirinto (também chamado Maze & Labirinth). Este data de 1698 e reconstruido em 1998. Criei coragem e entrei – consegui ficar uns 5 minutos andando antes de entrar em pânico 😀   Bem no centro há um lugar mais elevado, onde quem esta de fora vê a gente, então sabia que havia saída – fiquei rodando uns 20 minutos até chegar neste ponto, enquanto pensava sempre em Jack Nicholson enlouquecendo – e em Harry Potter combatendo dragões….

Quando cheguei na parte superior, é engraçado ficar vendo o povo que esta perdido começando a andar cada vez mais depressa, meio desesperado… haja sadismo. Quando resolvi descer, com a saída ficando bem em frente foi fácil. Detalhe da saída é que havia uma placa (que logicamente não vi quando entrei) indicando para um lado o caminho difícil e para o outro o fácil. Tudo bem que se tivesse visto provavelmente continuaria optando pelo dificil, mas podia ter visto isto antes, né! Ao final, o labirinto é divertido – e há outras coisas para se fazer ali também.

Voltando em direção ao palácio ainda há alguns jardins para se ver e lá na entrada, uma lanchonete (cara, por supuesto) para quem quiser. Terminei o passeio umas 15h00 e me mandei pro centro almoçar, antes de arrumar coragem para os 2 museus que ainda veria no dia – e que ficam para o próximo post. Schonnbrunn, sem dúvida um dos pontos altos da viagem a Viena.

OUTROS

Há diversos outros jardins e fontes para conhecer ali no complexo, que é Patrimônio Cultural da Unesco desde 1972. A meu ver os principais são o Tiergarten, o mais antigo zoológico do mundo, de 1752 e que tem nos Pandas sua principal atração. Eu adoro zoológicos, e adoro pandas – mas achei meio caro e não entrei; mas deve ser muito legal o passeio ali e se você dedicar o dia todo somente para Schonbrunn, este é um ótimo lugar.

Também o Jardim Botânico, de 1753 parece ter bastante coisa. A Palm House, que tem horários especificos e é um grande Pavilhão feito de ferro, com uma arquitetura que parece lindíssima. O Museu das Carruagens também deve ser interessante, mas não é aberto durante o ano todo. Durante o verão ainda há concertos diversos sendo realizados por ali, particularmente na Orangery – não fui porque preferi ver mais concertos em Praga  , mas deve ser uma experiência marcante. Para quem quiser aproveitar o máximo de opções, sugiro o Classic Pass Tour.

Anúncios

2 Respostas

  1. Que lindooooo!!!

    Adoro ler relatos e ver fotos de lugares pra onde fui de outras pessoas, principalmente de você, Alex!

    Me deu uma super saudade de Viena e de tudo…

    Em abril vou para Berlim, Paris, Amsterdã, Dublin e Münster (uma cidadezinha na Alemanha onde mora minha amiga) e aí quero super poder contar com as suas dicas!

    Seu blog é muito legal! Obrigada por me linkar nele!

    Beijos

    • Paris? Berlim? Tem lugar na mala? 🙂 Depois quem vai pedir dicas sou eu! (Procure Dresden….)

      E Lais, querida… li umas 5 vezes seu relato, antes e depois da viagem, pq está muito divertido!
      Outro momento que fiquei lembrando foi quando passei em algum pargue; alguns casais empolgados que vc comenta heheheh

      Não tinha como não linkar em algum momento 🙂

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: