Hradcany – O Castelo

Demorou mas saiu… também, este é meio longo. Tudo porque o Hrad – O Castelo de Praga – foi um dos lugares mais interessantes da viagem – não tanto por ser bonito (e ele é, mas há lugares mais bonitos), mas principalmente pela história envolvida…. comento um pouco conforme for passando.

CHEGANDO

Chegar em Hradcany (Distrito do Castelo) é fácil. Há várias paradas de TRAM(bonde) que você pode encontrar  aqui – Mas fique de olho: quando fui, havia um tram que passava em frente ao hotel e parava só no Castelo – no exato dia que cheguei lá estavam mudando diversas linhas e esta foi uma delas. Por sorte, dentro dos trams há mapas com as paradas e havia bastante informação sobre isto, então rápido percebi que tinha que mudar um pouco, mas foi algo que não esperava.  Como são diversos os lugares por onde se pode começar, recomendo o tram 22, descendo em Prasky Hrad, que é o ponto principal de entrada.

TICKETS

Há alguns tickets individuais e também os combinados short e long tour. A diferença é a inclusão de: Convent of St. George, que na verdade é uma galeria com diversos quadros e esculturas – e só vale para quem gosta muito; Prague Castle Picture Gallery, que não fui e Powder tower, que conta principalmente a história dos soldados da corte – em 30 minutos no máximo você vê tudo. Honestamente? O long é para quem realmente gosta de pinturas e esculturas – eu devia ter pego somente o short  e usado o tempo principalmente nos lugares que realmente valem a pena. Ou isto, ou já estava cansado de tanto ver quadros na viagem hehehe.

Também dá para pegar os audio-guide, que você aluga e tem algumas horas para devolver, com a grande vantagem de furar algumas filas. Porem, por mais lotado que estivesse, a única fila realmente grande é a da Catedral, e mesmo esta foi rápida, então não acho que seja necessário. Os lugares possuem muita informação escrita e o único onde queria ter algum guide foi na Catedral, e mesmo assim não valia o custo. Engraçado que quando na bilheteria perguntei sobre o audio guide, a própria mocinha disse que não achava valer a pena! Também fui comprar água e ela me fala: “pega esta garrafa vazia que você tem aí e encha nas torneiras mesmo – a água aqui é muito cara e a das torneiras é potável!” O máximo da sinceridade hehehe As informações sobre horário e preços estão aqui.

Um último ponto: dentro do castelo as filas das bilheterias estavam muito grandes – neste caso, volte para a entrada. Passando os guardinhas, mas antes de entrar no hall, tem um corredorzinho pequeno que vai à esquerda. Segue ali que logo tem um lugar vendendo os tickets – sem fila nenhuma! Os tickets valem por 2 dias, mas em 3 ou 4 horas muito bem usadas, dá para ver tudo.

JARDINS

Agora sim, o Castelo. Antes da entrada propriamente dita, à esquerda há um enorme e muito bonito jardim. Este fica aberto somente no verão, então não é sempre que você pode entrar – mas estando aberto, vale uma passada rápida. Logo no começo, tem um lugar com diversas aves treinadas para caça – me parece um pouco de crueldade mantê-las presas daquele jeito, mas… de qualquer jeito, só passei rapidinho por ali.

Pronto prá caçar

Passando os jardins, você pode dar sorte de ver a troca de guarda (de hora em hora) – repare nas roupas ‘fashion’ deles – foram desenhadas pelo figurinista de Amadeus. Indo por esta entrada e chegando ao salão com uma pequena fonte no meio, olhe nos mapas que a Catedral estará a sua esquerda.

Castelo de Praga, St. Vitus Cathedral

ST. VITUS CATHEDRAL

A catedral domina tudo, sendo avistada de longe. Em 925 DC foi fundada uma rotunda, convertida em basilica em 1060 e a partir deste lugar sagrado cresceu toda a região do Castelo. Mas somente pouco depois de 1300 começou a construção real da Catedral, que chegou ao que é hoje somente no século XX. Repare nos muitos gárgulas que adornam todo o lado de fora.

O lugar é impressionante, com muito dourado (normal na época) e diversas tumbas de  santos tchecos, com capelas dedicadas a eles. A principal é a de St. Wenceslas, que fica na direita. A Catedral está passando por restaurações em sua parte externa, mas isto não diminui a beleza do lugar que merece uma visita. Não se assuste com a fila formada, ela é realmente rápida, e você poderá ver uma das mais belas catedrais da região.

St. Vitus Cathedral

 

Dentro da Catedral

OLD ROYAL PALACE

Ao lado da Catedral cresceu o Palácio, que serviu de administração para diversos governos tchecos desde o século 14 , e também para os austríacos, quando estes dominavam a região. Destaque total para o Vladislav Hall, que abrigou diversas cerimônias, e por séculos viu a coroação dos reis. Nos anos mais recentes, é também onde se veem eleições presidenciais.

Vladislav Hall

Outro local bastante interessante é a Old Diet, que não é uma dietda da idade média, mas sim o lugar onde desde o século 15 se faziam os julgamentos. Estas coisas sempre me fazem pensar… enquanto por aqui não existia nada, por lá tinha até mesmo sistema jurídico. Vá também à janela da defenestração e pense em como um lugar aparentemente tão bobo abrigou o início de uma guerra. Acho que passei uns bons 40 minutos pelo Old Palace…

O rio visto do Castelo

Old Diet, justiça no seculo 15

Coroa de St Venceslau, 1376

 The Story of Prague Castle

Saindo do Royal Castle, você já está próximo da Permanent Exhibition: The Story of Prague Castle, incluido nos 2 passes. Como o nome já diz, é um museu com a história do complexo, desde os mais antigos achados (que datam dos tempos do império romano), até tempos mais atuais, passando por manuscritos de St. Vitus, coroas e até mesmo roupa mortuária usado por algumas rainhas. Como é muita coisa, depois de um tempo começa a cansar, mas prá quem gosta de história (e como já viram, sou um deles), é um prato cheio; ainda que a maior parte do pessoal passava simplesmente correndo por tudo.

St Vitus Apocalipse, manuscrito de 1085

Ao terminar, siga para baixo, aos fundos da Catedral, onde tem a tem a Kafeteria U Kanoviku – talvez seja um pouco cara, mas é um ótimo ponto para comer algo embaixo das árvores, ou tomar um sorvete.

ST GEORGE´S BASILICA

Passando a cafeteria, este é prédio mais antigo da região, datanto de 1142. A visita não leva mais que 10 minutos e é bem interessante esta basilica que mais parece uma capela, mas cujas paredes estão ali há quase 1000 anos. Bem do lado esquerdo está o St. George´s Convent, convento de freiras beneditinas fundado em 973 e que hoje abriga uma Coleção de arte do século 19 e, como falei, tem a entrada somente no long tour. Lógico que se tiver o passe deve-se entrar, mas como disse: não é primordial… vale ler sobre ele para se decidir

St George´s Basilica

GOLDEN LANE

Tem a Powder Tower, mas como falei ali não tem lá muita coisa – nem mesmo uma vista da região, como eu esperava – decepcionante é o mínimo que posso dizer. Assim, o último ponto de interesse é a Golden Lane. Esta é uma ruazinha muito charmosa do séc 16, com casinhas minúsculas e bem bonitas. A mais famosa é a casa 22, onde Franz Kafka viveu por algum tempo em 1917. A entrada costuma estar incluida nos passes – porém quando fui (Julho/2010) a rua estava toda em restauração, então o que podia se ver era uma réplica da rua, e esta era paga (creio que 50 coroas). Acabei pagando e achei até que valeu a pena, até pq quando poderei voltar, né…?

Golden Lane em restauração - no 22 viveu Kafka

Há outras coisas na região do Castelo – e mais uma vez, o frommer´s é um ótimo guia de informação, em seu Walking Tour 2. Gostei muito do passeio, poderia incluir entre os ‘obrigatórios’, junto a Ponte e ao Centro histórico. Principalmente a Catedral e o Old Palace valem demais a visita que deve levar um minimo de 3 horas para ir razoavelmente rápido… Quem quiser ver mais fotos, é acessar a partir daqui

Na hora da saída, uma maneira no mínimo diferente de ver a cidade – revi este ‘balão’ diversas vezes e sempre fiquei morrendo de inveja hehe

 

Saindo dali, você pode voltar por onde veio até o tram e seguir seu caminho, ou descer até o final para ter mais uma bonita vista da cidade, seguindo para outros lugares de Malá Strana, como a Church of St Nicholas , que não fui mas domina totalmente o lugar, e dizem ser lindíssima. Ou então vá se perdendo pela região até chegar ao Rio, seguindo para o principal ponto da cidade, Charles Bridge – mas este fica prá depois, que este post já está longo demais 😉

Próxima parada: Karluv Most/Charles Bridge com pouca gente


Anúncios

2 Respostas

  1. Muito bom, como sempre. Ano q vem eu vou pra Europa. Só conheço a América…

    • É bem diferente… aqui é natureza, lá é mais história, arquitetura e em algns lugares, também natureza, claro. E os 2 são bons demais 🙂

      Estou doido prá voltar

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: