Minha Terra

Este seria o texto de inauguração do blog há uns 2 anos, mas com hoje sendo o aniversário da cidade, acho que tem tudo a ver 😉

Quando comecei a viajar, sempre que alguém me perguntava de São Paulo, a resposta era: Fique longe – vá para o Rio ou Salvador, mas não São Paulo. Até que em 2007 conheci um colombiano que já deu a volta ao mundo e tinha adorado isso aqui; na mesma viagem, um espanhol que conhecia muita coisa, e resolveu ficar alguns meses em Sampa, e estes 2 me intrigaram: O que um turista teria para fazer em São Paulo?

Com o passar do tempo e das viagens, fui me sentindo culpado por conhecer alguns lugares muito melhor do que minha própria cidade – mas isto começou a mudar finalmente quando no dia 26 de Dezembro de 2008 tirei uma folga, peguei o Guia Brasil (que tem um passeio a pé muito legal por Sampa) e fui fazer meu dia de turista em São Paulo – e não é que gostei?

Não estou falando da Paulista, nem do MASP (que de vez em quando tem exposições muito boas, e só passar do lado de fora já vale), mas sim do centrão mesmo – região onde no fim dos anos 90 e começo de 2000 eu passava com medo. Para minha surpresa ao descer de Metrô na Sé e a praça estava bastante organizada, limpa, e bonita! Sim, eu já tinha ouvido falar que estavam ajeitando o centro, mas ainda assim foi surpreendente. Saindo dali Catedral da Sé, que está lindíssima e super lotada de turistas. A Catedral data de 1591, e a que está lá já é a 3ª reconstrução no mesmo lugar, tendo iniciado em 1911.

Praça da Sé

 Por fora, ela domina totalmente a região com seu estilo gótico, e na entrada ainda tinham montado um presépio bem bonito, mas é por dentro que se mostra com toda sua arquitetura, o piano de milhares de caldas, seus lustres (adoro lustres)…. Nem a chuva que caia o tempo inteiro do lado de fora atrapalhou.

Catedral da Sé

Saindo dali, seguindo pelos calçadões lotados do centro, até a Igreja de São Francisco de Assis, onde havia uma pequena exposição de ‘presépios do mundo’, que estava bastante interessante. Em seguida, voltei para a Praça da Sé, desta vez por outra daquelas ruazinhas legais do centro, em direção a Igreja da Ordem 3ª do Carmo, que estava um pouco escura, mas muito bonita também.

Na volta, passada no Pateo do Colégio, lugar onde tudo se iniciou em 25 de Janeiro de 1554, e que possui site bastante decente (apesar da abertura demorada). Já havia passado ali muitas vezes antes mas nem sabia o que era, então desta vez foi diferente. Há que se respeitar que daquele lugarzinho pequeno surgiu esta megalópole gigante. Pena que o Museu estava fechado.

Pateo do Colegio

Páteo do Colégio

Em seguida, descendo até o CCBB (Centro Cultural Banco do Brasil) que tinha mais uma exposição bastante interessante, e mesmo o próprio lugar é muito bonito e vale a pena conhecer– principalmente por ser gratuito. Próxima parada – Mosteiro de São Bento. Ali, enquanto descansava um pouco nos últimos bancos da igreja, de vez em quando sentava alguém do meu lado falando uma língua estranha e com o Lonely Planet Brazil – Sampa realmente está entrando na rota de turismo internacional, e com todo merecimento. A bem da verdade, o Mosteiro nem é lá muita coisa, mas como parte da história da cidade, merece uma parada.  Daquele dia, me arrependo não ter comprado os famosos pães feitos pelos monges, mas finalmente fiz isto estes dias ano e apesar de caros, merecem a fama que tem.

CCBB

Em seguida, Prédio do Banespa. Por causa do feriado, estava bastante cheio, mas valeu a hora de espera na fila. Para entrar, só precisa do RG e, se for menor de idade, de alguém adulto acompanhando (tinha um casalzinho na fila e para entrarem, me pediram para dizer que era tio ou algo assim – fazia tempos que não me sentia tão velho… ). Chegando lá em cima, a vista é demais…. sim, são basicamente prédios, mas São Paulo vista de cima ficou ótima.

Prédio do Banespa

Entrada do Banespa

São Paulo vista de cima

Para terminar, passada básica no Viaduto do Chá, e Anhangabaú, que é um lugar sempre bonito e agora nem cheira mal hehe. Só uma pena que o Teatro Municipal estava fechado, então fui direto para a última parada, no Ponto Chic finalmente experimentar o mais famoso Bauru da cidade, e… é bom demais mesmo, e me dá água na boca só de pensar.

Anhangabaú quase no Teatro

Teatro Municipal

Resumindo: São Paulo tem a famosa noite com agito em qualquer dia da semana, a noite toda; gastronomia de todo lugar, uma boa parte cultural, a Paulista é ótima para umas voltas, mas o centro merece ser redescoberto – e se São Paulo está longe de ser Rio, Salvador ou qualquer das cidades mais turísticas, também não é um lugar a ser descartado tão rapidamente.

 O dia foi tão divertido que alguns meses depois repeti o passeio, por outros lugares da cidade – mas isto fica para outro post.

Anúncios

6 Respostas

  1. Oi Alex, muito legal o seu blog… Estou sempre acompanhando os posts!!! xD
    Pois éh, eu moro em Campinas, bem próximo a SP e há um tempo atrás fui surpreendido ao ver uma matéria na TV falando sobre o SP turistico e senti vergonha por não conhecê-la de verdade, morando tão perto de uma das maiores cidades do mundo. Então, eu e minha noiva fomos fazer um pequeno tour por SP. Me surpreendi com a beleza, mas tb com a sujeira e pobreza. SP é uma cidade com potencial gigantesco, se destaca pela cultura e gastronomia, mas SP precisa ser olhada com mais carinho pelos seus governantes, precisa de cuidados simples, que com o minimo de importância, fariam toda a diferença!
    Abraços e parabéns pelo blog!
    http://www.portodaavida.wordpress.com

    • É sempre assim… tenho uma amiga minha de foz que diz que muitos nativos de lá ainda não conhecem as cachoeiras! No Rio também tem um monte que nunca subiu no Cristo – a gente acaba indo prá todo lugar, mas nunca na própria cidade. Isso aqui tem muita coisa para melhorar ainda, mas devagar a gente vai caminhando…
      Abraço, e volte sempre 🙂

  2. Poxa, que legal um post sobre Sampa, minha cidade! Apesar de todos os problemas eu AMO SP e como estou morando há mais de um ano fora, agora sim, sei ver tudo que há de bom na cidade (e de ruim também). Nada se compara a variedade de restaurantes e vida noturna de SP. Parabéns pelo blog. Estive lendo os posts de Viena, pois tenho uma viagem programada para julho/agosto, as dicas já me ajudaram bastante.
    Abraços!!

    • Pois é… por mais que a gente algumas vezes odeie a cidade, também ama! Sampa é isso ai mesmo, não tem muitos lugares que me fariam sair daqui, não hehehe. Valeu, e continue visitando 😉

  3. Morei um ano em SP e gostei muito de alguns passeios: MASP, Ibirapuera, Museu do Futebol, Museu da Língua Portuguesa, Liberdade, Mercado Municipal, Praça da Sé…

    Toda cidade tem seus problemas e suas qualidades!! Parabéns pelo blog.

    • Pior que quem mora geralmente não conhece – eu mesmo ainda não fui no do Futebol ou da Lingua, que são muito elogiados…

      Mas nada como Rio de Janeiro hehhe

      Valeu pela visita, Rodrigo 🙂

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: