Magic Kingdom

No dia que confirmamos o nascimento da Isabeli para a próxima quinta, 08/03/2012, nada como lembrar do lugar ‘Onde os sonhos viram realidade

Walt Disney World é um complexo de parques, hoteis, restaurantes… mas sempre que falamos em Disney o que realmente vem a mente é o Magic Kingdom e o Castelo da Cinderela ao fundo. Foi aqui que tudo começou, este é o lugar que Walt sonhou e pelo qual arriscou tudo e se provou correto…. é o mais infantil, mas tem diversão para todo mundo!

Chegando

Mais uma vez chegamos cedinho, antes do parque abrir, assim o estacionamento ainda estava ok e fomos andando até a bilheteria (mas se necessário, sempre tem os trenzinhos levando até lá). Ao contrário dos outros parques, após passar pela segurança você ainda não está no seu destino. Para chegar no parque, precisa pegar um monorail ou um barco. O monorail é muito mais rápido, mas o barco é um passeio mais bonito (ainda que nem tanto assim…). Desta maneira, se tiver com tempo, vale a pena ir de barco e pegar o trem só para sair a noite – mas só se tiver tempo mesmo, já que o barco nem é tão mais interessante assim…

Mais uma vez, a primeira coisa é pegar o mapa em português e o horário das atrações. Para já ir estudando, tem este mapa. Como chegamos cedo, ainda deu prá pegar o finalzinho do Show de abertura, com um pouco de dança e desfile… é legal para já ir entrando no clima. Siga pela Main Street até um jardim no final, onde você vai começar seu passeio. Como vai passar várias vezes aqui, tente resistir a já tirar fotos do castelo num momento em que “todo mundo e mais um pouco” está passando nesta avenida – claro que é fácil falar, já que nós mesmo não resistimos hehe

Viva a fantasia

Fomos direto para o fundo, nas atrações que lotam mais, mas errei o caminho e acabei parando na

Liberty Square

Assim, a primeira atração foi a Haunted Mansion – Mansão mal assombrada que marcava 5 minutos de fila. O cemitério do caminho já vai criando o clima, e as lápides tem inscrições bem engraçadas. O que realmente vale ali é este cemitério e o começo da mansão, que é meio assustador(tinha criança lá dentro que estava meio que chorando… aliás, criança neste ai não, né!); mas quando entra no carrinho o que a gente vê são fantasmas, monstros, almas penadas… mas nada que realmente assuste. É uma das atrações mais clássicas e por isto pode estar bem concorrida, mas não é algo que faça falta, então vale se a fila não for muito grande.

Cemitério - atenção nas lápides

Virando fantasmas

Liberty Square Riverboat Nem estava aberto tão cedo, e fomos nele já no fim do dia, mas aproveitando… este é um daqueles navios do século XIX que faz uma volta pela região. É legal para ver os brinquedos de outra maneira, especialmente a Mansão Mal-assombrada e a Mina. O problema: só passa a cada 30 minutos e o passeio em si demora uns 20 – o bom é que cabe muita gente, então basta estar lá na hora que deve conseguir embarcar. É um passeio interessante para o final do dia, quando já tiver feito os lugares em que agora verá por outro ângulo, e é bom também para poder descansar um pouco – mas totalmente dispensável

Barcão do século XIX

Frontierland

Agora sim, o lugar que queríamos iniciar, um dos mais concorridos do parque. Estamos no Velho Oeste, terra de John Wayne e Clint Eastwood, mas também terra de muitos desenhos.. a primeira parada é a Big Thunder Mountain Railroad que é uma montanha russa em uma Mina de pedras preciosas. Das montanhas ‘adultas’ é a mais leve, mas é muito divertida. O carrinho vai muito rápido em suas várias curvas… gostei bastante. Este tem Fast Pass, mas vindo cedinho não tinha fila.

Big Thunder Mountain Railroad - Montanha russa da Mina

Big Thunder vista do Liberty Riverboat

Só me perguntava onde estava todo mundo, até que vi a fila do Splash Mountain. Mas foi só um susto… é que demoraram mais para abrir o brinquedo,ufa! Enfim: é outros dos clássicos e se vier muito tarde pode ter muita fila, mas de manhã estava em 30 minutos só. É estranho porque em muitos momentos parece a Montanha encantada do Playcenter, com seus bichinhos fofinhos cantando, até que começa a subir e tem uma queda, aí volta a cantoria e depois outra queda e assim vai. O bom é que algumas quedas são realmente pesadas. Tem que ir preparado para molhar muito… e ter que se secar no sol é mais um motivo para ir cedo.

Parece Montanha Encantada

Mas a queda não tem nada de encantadora...

Do lado do Splash, tem a Railroad que é uma estação de trem ‘das antigas’. Não é bem um brinquedo, mas sim um trem que dá uma volta no parque… peguei porque li que dava uma passada ‘por trás das atrações’, mas não dava prá ver lá muita coisa, então foi um tanto decepcionante. O bom é que serviu para a Mima descansar (apesar que grávida, ela não foi nem no Splash nem na montanha), e também passamos no meio da construção de uma nova atração do parque, mas é melhor usar como meio de transporte mesmo.

Adventureland

Saindo da fronteira, entramos na aventura, direto para um brinquedo que se tornou um fenômeno do cinema, graças a Johny Depp e seu Capitão Jack Sparrow: Pirates of the Caribbean  Pode estar bastante cheio este, mas o dia estava a nosso favor, e fomos direto até o barco. Esperava muito mais por causa da fama, mas é basicamente um barquinho em que você vai vendo as coisas dos lados, como os piratas – o momento alto é encontrar Jack Sparrow, claro! Muito bacana é a lojinha do brinquedo, com diversos figurinos, arminhas e outras coisas que remetem aos piratas.

Barco pirata

Ainda por ali, o Jungle Cruise é um passeio de barco por rios de todos os continentes(começando pelo Amazonas). É bem divertido, especialmente se entrar na bagunça que a capitã do navio fez, fugindo de caçadores e coisas do gênero.

Cruzeiro no amazonas

Rios africanos

Vila sob ataque

Enquanto esperava o Fast Pass do Cruise, fomos para o Enchanted Tiki Room que é de longe a pior das ‘atrações’ de todos os parques. Ok, as crianças bem pequenas vão discordar completamente, e seus pais também – mas para 3 adultos eu queria bater em quem me deixou entrar prá ver este show de pássaros animatrônics cantantes… fuja! A menos que vá com crianças

Main Street

De volta ao início, agora sim tirando fotos… é ali o melhor(e mais cheio) lugar para os shows e desfiles, é também onde vamos para entrar em todas as lojas possíveis vendo as coisas que não vamos comprar por serem caras, mas que valem a visita mesmo assim.

Docinhos da Margarida... dificil resistir

Mickey Bombeiro

Castelo baratinho

Também é um ótimo lugar para comida de diversos tipos e claro, o Town Square Theater é o principal para pagar mico sendo o único grupo só de adultos na fila para tirar foto do Mickey e da Minnie e também com ‘As Princesas’ – mas neste a gente não foi hehe

Beijinho na Minnie e pensando: "Com certeza é um homem aí dentro"

Fantasyland

Depois do desfile da tarde foi o momento perfeito para outro dos lugares mais lotados da Disney, a terra da Fantasia, e claro: começando com Mickey´s Philharmagic, o melhor 4D de todos os parques. Não lembro da história, mas tem algo com um Pato Donald atrapalhado e o Mickey tendo que consertar…o que importa mesmo é que os efeitos são ótimos, a tela é maravilhosa e a maneira como tudo é feito é sensacional. De longe, o melhor brinquedo do parque! Melhor de tudo: como tem muito lugar, mesmo que estiver lotado, vale ir prá fila.

Snow White´s Scary Adventures A primeira das animações para o cinema rende um daqueles barquinhos para ir vendo as coisas, mas este surpreendeu positivamente. É realmente bem divertido, relembramos a história e a bruxa é assustadora(criança muito nova pode não gostar…). Vale a pena.

Branca de Neve e os anõezinhos

Olha a Bruxa...

Tem outro que dizem ser muito parecido com o da Branca de Neve, mas o Peter Pan´s Flight estava muito, muito lotado – e o fast pass era para quase na hora do desfile de encerramento, assim não fomos – mas fiquei morrendo de vontade. Outro bastante concorrido é o Dumbo que tem até um de seus elefantinhos no Museu de História Americana em Washington; este não fomos porque é para crianças mesmo.

It´s a Small world 30 minutos de fila para outro brinquedo de barco, mas este meio besta. Tem que se lembrar que é o primeiro, o mais antigo de todos os brinquedos dos parques, mas é bem bobinho e só vale ir se não tiver mais outra coisa prá fazer(algo bem raro por ali…)

Where the dreams come true

Continua no próximo…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: