Discovery Cove

E vamos finalmente a última dupla de parques, ligados ao Seaworld. Na verdade, o que queria ver era o Discovery Cove que é um parque de diversões totalmente diferente dos outros, e que também foi um dos pontos mais altos desta viagem.

Comprando ingresso

Ao contrário dos outros, para ir ao Discovery você é obrigado a comprar ingresso antecipadamente. Isto porque ele tem um número máximo de 1000 pessoas por dia, e na alta temporada este número costuma ser atingido com semanas de antecedência. Mas e se chover no dia? Bom… neste caso eles topam adiar o dia que você tem marcado. No dia que fomos estava um pouquinho frio, mas nada que a roupa de neoprene não resolvesse.

Olhando no site, tem as várias opções. Quando fomos,  a experiência com o golfinho estava U$ 229 + taxas (total: U$ 243), o que parece muito caro – mas… o ingresso inclui café da manhã e almoço (média 20 dolares nos mais baratos almoços nos outros parques). Também inclui estacionamento (u$12,00 nos outros) e ainda dá direito a 14 dias de ingresso em parque a escolher: Sea World ou Busch Gardens – e o preço do SeaWorld online é U$ 75 + taxas. Colocando tudo no papel, temos que o ingresso do parque fica em 229-12-20-75= U$ 122,00; um preço bem mais palatável, se pensarmos que só dos golfinhos são 50 dólares.

Hoje o pacote parece diferente: você tem o SeaWorld + Aquática e, por mais $20, pode ir também a BuschGardens. Mas principal diferença: o valor que coloquei acima é o que paguei em Novembro e também o preço de lá em Setembro de 2012 – mas para Julho e Agosto o pacote com golfinhos vai de 319 a 379 dólares, dependendo do dia – realmente ficando muito mais caro… tivesse eu que ir em Julho, teria que repensar se vale a pena – mas quem for em baixa temporada (a partir do meio de Agosto) não precisa pensar muito, não.

Chegando

Chegando lá, você passa por uma recepção com atendimento individual (ou para o grupo), pega um cartão que dá acesso a tudo, confirma o horário dos golfinhos (que foi reservado no site) e sai por uma trilha bastante bonita, onde tiram uma foto sua perto da entrada (foto que você ganha sem desembolsar mais nada).

Discovery Cove

Trilha da chegada (não, não passamos por dentro dágua..)

Vamos direto para o café da manhã, que é bem reforçado e com bastante opções para escolher e depois seguimos para trocar de roupa. Todos tem a disposição lockers (já incluídos), toalha e protetor solar (aliás, e isto é importante: o único protetor solar permitido ali dentro é o deles mesmo, que é biodegradável – e bem mais espesso que comum, proibido ali dentro).

Café reforçado

Também pode pegar um snorquel(que você leva prá casa) e um par de óculos para ver embaixo dágua. Além disto, há a roupa de neoprene – esta roupa é obrigatória para nadar com os golfinhos, porém você pode ficar com ela o dia todo, que é ótima para proteger do frio quando está fora da água, como eu mesmo fiz. O mapa do lugar está aqui.

Serenity Bay e o Rio

A praia principal da entrada é bem tranquila e boa para passar o tempo enquanto esperamos o golfinho. Também dali começa um ‘rio’ com correnteza. Para este rio vale levar o snorkel, que mesmo não tendo peixes, tem-se uma boa ‘paisagem’ debaixo dágua. Também antes de se aventurar, vale pegar uma ‘macarrão-bóia’ (disponivel pelo parque) , especialmente para quem não sabe nadar, porque durante o percurso há diversos lugares que passam dos 2 metros de profundidade.  A volta completa no rio leva uns bons 20 ou 30 minutos para quem for devagar, curtindo o lugar.

Serenity Bay… uma praia mega relaxante, de água aquecida!

O rio

Dolphin Experience

O ponto alto do dia (e também da viagem). 30 minutos antes do horário você vai assistir um vídeo, receber informações (golfinhos são dóceis, mas são animais, é a principal lembrança), tira tudo que é de metal e deixa em outro locker, inclusive alianças e relógios, se arruma e vai prá lagoa.

O grupo tinha umas 7 pessoas e nós tivemos a companhia de um macho quarentão! Primeiro o guia nos apresenta ao golfinho, passamos a mão nele, damos beijinho, brincamos um pouco e ao final todos podemos nadar com ele – inclusive quem não sabe nadar. Temos 30 minutos com o golfinho que passam voando, mas valem demais a pena. Inesquecível!

Até a Isabeli andou passando a mão no golfinho, do alto de seus quase 5 meses na barriga da mamãe!

Treinadores com os golfinhos

Beijando um quarentão… ele era super-simpático, vai!

Maaae! Eu sei que não tinha nascido ainda, mas queria taaaanto este irmãozinho!

Nadando com o golfinho!

Explorer’s Aviary

O almoço é bom, com uma variedade enorme de coisas (desde cachorro-quente até comida de verdade e sobremesa) e depois do almoço, fomos conhecer a parte dos pássaros – que acaba sendo a única em que você consegue tirar fotos, a menos que tenha câmera subaquática (aliás: proibido tirar fotos da parte dos golfinhos, a menos que alguém do grupo faça em horário diferente do seu).

A parte das aves é bastante grande e em todo lugar tem uns potinhos de comida para você dar para elas. Assim, o tempo inteiro tem um monte de gente tentando alimentar os bichos, que já estão mais que acostumados. O melhor é quando algum mais assanhado acaba subindo no seu braço ou mesmo na cabeça, como vi algumas fazendo. Acho que ficamos mais de 1 hora por ali.

Haja comida

Passarada difiiiicil

O máximo foi uma que chegou a tirar um cochilo pousada na camiseta da Mima. Uma delícia de se ver 🙂

Passarinho tá com sono…

The Grand Reef

O grande recife é surpreendente! Você vai entrando e vendo um monte de manchas se mexendo com a água na altura das canelas – ao colocar a cabeça dentro dágua, encontra um monte (mas muitas mesmo) de arraias – a maioria daquelas gigantes! No começo dá até medo, mas depois de um tempo você acostuma…

Seguindo pela água temos também a parte do recife, com muuuuitos peixes de diversos tamanhos e cores – ali é bem profundo, mas a coisa mais linda de se ver.

Sai, mas voltei umas 3 vezes e na última a experiência mais insólita que tive: de repente, um monte de arrais começou a passar perto de mim e quando vejo elas pareciam estar em reunião, com várias juntas numa única região da piscina. Sensacional!

Ainda dentro da mesma praia do arrecife, cheguei a um lugar que tinha vários tubarões – tomei um baita susto, mas se estavam ali, é porque eram ‘mansinhos’. Assim fui chegando mais perto, sempre por dentro da água, até que bati numa vidraça que separava a água ‘normal’ dos tubarões. Agora sim entendi porque eles estavam ali 😉 Mas mesmo com um vidro separando, a visão é sensacional.

Daqui não tenho fotos da região, mas por sorte tinha a câmera descartável que comprei em Key West praticamente sem uso, então consegui tirar pouco mais de 20 fotos e imprimi da maneira ‘tradicional’ – que algum dia eu scaneio prá colocar aqui.

SeaVenture

Para quem quer algo diferente, tem este programa, que é um mergulho com scuba(vejam o video no site) na regiao do recife. Este não fiz, mas pode ser interessante para quem quiser ficar mais  ‘íntimo’ dos peixes

Freshwater Oasis

Por último, agora em 2012 abriram mais uma área, que não existia quando fui. Pelo que entendi, é um oásis com trilhas e um pouco mais de peixes, porém de água doce. Não sei bem como é, mas a se manter o nível do restante do parque, deve valer a pena

Comprando fotos e saída

Como falei, a entrada (na baixa temporada) não fica tão cara assim, mas se você quiser fotos dos golfinhos… ai é outra coisa. Tem um pacote com 2 fotos e 2 chaveiros, outro com 5 fotos, 2 chaveiros, 1 ampliada e o CD e um terceiro com o vídeo do encontro. A cada nível de pacote, aumenta uns 50 dólares. Acabamos ficando com o  intermedíario, principalmente para termos o CD com as imagens – porque fazer um negócio deste e não ter nenhuma foto prá lembrar depois é sacanagem!

O parque fecha razoavelmente cedo, as 17h30, então umas 16h30 a gente já começa a se arrumar. Na hora da saída ainda tem alguns snacks para comer, a ponto de nem precisarmos jantar(aliás, pode-se comer salgadinhos e refrigerante o dia inteiro, tudo incluso). Pegamos as fotos e a noite pode ser aproveitada para o downtown disney por exemplo, ou para compras, já que foi um dia relaxante, tranquilo e que ‘terminou’ cedo.

Resumo

Foi espetacular! Marquei o discovery no final da primeira semana em Orlando, e foi ótimo para relaxar, para ter um parque diferente e principalmente: para a experiência única com os golfinhos (e o recife prá mim fez só melhorar tudo ainda mais). Na alta temporada, não sei se teria coragem – mas ainda assim é tentador… mas na baixa temporada é praticamente obrigatório!

Tchau, golfinhos..

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: