Giverny

Tantos posts e ainda estamos no dia 10 da viagem. Realmente a Europa é uma festa de coisas para conhecer 🙂

Antes de viajarmos, a Mima falou que queria conhecer as Nympheas de Monet. Ela se referia aos quadros, que estão no museu L´Orangerie e que apareceram há pouco tempo no delicioso “Meia-noite em Paris“, de Woody Allen. Mas eu lembrava de alguma coisa sobre Os jardins de Monet – que foram a inspiração para as Nympheas – serem próximos a Paris.

Não deu outra: a Fundação Claude Monet que inclui os chamados “Jardins de Monet” ficava há 1 hora de carro de Paris – melhor ainda: nem precisaria desviar muito do caminho.  Aliás: para ir de trem também é muito fácil.

Assim, depois da atrasada que tivemos para instalar a cadeira, coloquei “84, Rue Claude Monet – Giverny” no GPS e lá fomos.

Uma cidade bem pequenina

Quando fomos chegando, o GPS foi mandando para uns lugares muito apertados umas ruas estranhas.. mas vá seguindo que é assim mesmo. Só não faça como eu, que parei em qualquer lugar e fui querer ir andando – só para descobrir que a caminhada era bem grandinha…e ainda por cima, tem um estacionamento gratuito do lado.

Ruas de Giverny

Ruas de Giverny

Os Jardins

Estava um dia extremamente quente (mais de 1 mês depois, li em um blog que aquele dia chegou a 38 graus em Paris), e chegamos umas 14h30, com o sol a pino. Mas mesmo se pegar este calor tão forte, aproveite muito este que é um lugar lindíssimo!

No site tem um mapa mas assim que a gente chegou, mandaram a gente para o Jardin d´Eau/Jardim das Águas (para entrar, tem-se uma passagem subterrânea), por ser mais fresco um pouco. E também é o mais lindo. Dizem que cada estação do ano é diferente, então só coloco um pouco do que a gente viu no verão francês – deixo as fotos falarem por si.

Jardins aquáticos

Jardins aquáticos

OLYMPUS DIGITAL CAMERA OLYMPUS DIGITAL CAMERA OLYMPUS DIGITAL CAMERA OLYMPUS DIGITAL CAMERA OLYMPUS DIGITAL CAMERA OLYMPUS DIGITAL CAMERA OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Terminando os Jardins de Água, vá novamente pela passagem subterrânea e conheça os outros Jardins. São muito bonitos também, mas ali não tinha muitas árvores, então o sol começou a atrapalhar um pouco. Mas aproveite, que também valem demais.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA OLYMPUS DIGITAL CAMERA OLYMPUS DIGITAL CAMERA OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Para terminar, tem o Museu de Claude Monet, no lugar em que era sua casa. A fila estava muito grande para entrar, então resolvemos ir embora, mas pode valer a visita.

Casa/Museu de Monet

Casa/Museu de Monet

Com bebês

Este é um passeio rápido. Nós levamos 1 hora por causa do sol muito forte, mas se for devagar, não deve levar mais que 2 ou 3. De qualquer jeito, há um trocador nos banheiros femininos. Mas o mais importante aqui é: não é um bom lugar para ficar de carrinho – leve apenas seu canguru/sling para carregar o bebê, porque pareceu bem ruim usar carrinho aqui, e é lotado, então teria problemas de locomoção. Por sorte, a gente já tinha imaginado isto e deixou o carrinho no porta-malas.

Comendo

Graças ao atraso, quando chegamos lá o pessoal já não estava servindo almoço (normalmente servido até as 14 ou 15 horas somente), então não conseguimos comer nada e só fomos ‘almoçar’ mais tarde em uma lanchonete de beira de estrada uns lanches e croissants – e realmente o croissant francês é fabuloso (aliás, nesta parada encontramos o melhor trocador infantil de toda a viagem… uma pena que não anotei o lugar).

De qualquer jeito, seguindo pela rua do Jardim há diversos restaurantes, caros ou baratos, comida ou só lanche. Eu tinha anotado este aqui mas tem bastante opção.

Informações

Os Jardins não são abertos o ano inteiro, então acesse o site para confirmar – creio que é fechado principalmente no inverno. Se estiver em Paris e tiver tempo, de trem chega-se em 45 minutos (no site tem as informações).

O bilhete custa 9,50 euros e dá para comprar pela internet. Eu comprei e valeu para não ter que pegar fila na hora. Só atenção que quem compra pela internet entra pela entrada de grupos, que é diferente da ‘normal’ e dá direto na passagem para os Jardins aquáticos.

Por último: fomos depois no Museu L´Orangerie e é um sentimento interessante: são quadros muito bonitos, mas empalidece tanto perto da realidade, que acabam ficando sem graça…mas sei lá: já que esta por ali, porque não conhecer os dois?

Enfim: é um lugar lindíssimo e vale muito um bate-e-volta de Paris, ou como primeira parada saindo de carro.

Seguindo Viagem

Se tivesse saído pela manhã, uma ótima parada é a cidade de Rouen, principalmente pela Catedral de Notre Dame, que dizem ser uma das mais lindas da França. Mas era um desvio de 2 horas e não caberia no momento. Assim, mais 3 horas e pouco e chegamos ao Mont Saint Michel.

Para mais fotos, no meu facebook.

Anúncios

Uma resposta

  1. […] ver As Nympheas – falo dos quadros de Monet – mas lá no começo da viagem a gente tinha ido conhecer os jardins que a […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: