Ile de la Cité – pontos turísticos.

É curioso que, enquanto a “Ilha da Cidade” tem diversos lugares famosos, gostoso mesmo é simplesmente andar a toa. E foi isto o que fizemos enquanto íamos conhecendo o lugar – e pelo menos mais 2 vezes depois…. são as vantagens de se hospedar tão perto 🙂

Pont Neuf

A Ponte Nova é a mais antiga ponte no Sena, numa construção que durou 30 anos e acabou em 1607. Eu esperava algo como a “Charles Bridge, de Praga“, mas ali passa tanto carro e tanta gente que só na segunda vez que passei por ela percebi que estava na famosíssima ponte. Vista de baixo é  bonita, mas a fama vem só pela idade mesmo.

Pont Neuf vista debaixo...

Pont Neuf vista debaixo…

Concergerie

Começamos o dia tranquilo pela Concergerie, escolhido como primeiro ponto de parada para comprarmos o Paris Museum Pass em um lugar onde não teria muita fila – e não tinha mesmo.

A Concergerie já foi muita coisa, inclusive parte do antigo palácio real, mas a fama mesmo é do tempo em que foi uma prisão. Mais ainda: foi a prisão de Maria Antonieta, que saiu dali direto para a guilhotina. Na verdade, a Concergerie foi a última residência de quase 3 mil pessoas durante a Revolução Francesa, e mesmo o tempo de prisão sendo pequeno na história do lugar, é ele o ‘tema’ do lugar.

Temos algumas réplicas de celas, desde as mais ‘detonadas’ até a daqueles que tinham dinheiro e podiam pagar por uma cama(até nisso ter dinheiro ajuda). O ponto alto é a cela em que ficava Maria Antonieta, que foi fielmente reproduzida.

Não é um lugar dos mais turísticos, mas eu sempre gosto deste tipo de coisa. Ficamos umas 2 horas, mas em 1 hora dá para ver tudo. A entrada custa 8,5 euros – mas por este valor, somente se tiver o Museum Pass, ou se gostar muito da Revolução Francesa…

Sala da preparação: rumo a guilhotina

Sala da preparação: rumo a guilhotina

Cela de prisioneiros.

Cela de prisioneiros.

Estes foram guilhotinado aqui

Estes foram guilhotinado aqui

Com bebês: Tem trocador no banheiro feminino. O carrinho pode ser usado em parte do percurso, mas tem algumas escadas, onde não pode ir com ele, assim é bom se preparar para carregar o baby durante parte do tempo.

Cela de Maria Antonieta

Cela de Maria Antonieta

Notre Damme

Uma das igrejas mais conhecidas do mundo, sem dúvida a parada principal da Ile de la Cité. A Catedral de Notre Dame é 400 anos ‘mais velha que o Brasil’, com a construção começando em 1160, e só por isto já vale a visita.

Mas o motivo principal que todo mundo quer conhecer a catedral é encontrar o Corcunda Quasímodo,  Antes da viagem, fui obrigado a ver o desenho da Disney, claro, mas ele é bem mais ou menos. Na igreja, é legal ficar olhando aquelas colunas e pensando no Corcunda assombrando tudo. Logicamente, não muito longe da igreja tem o bar “Esmeralda”.

Notre Dame de Paris

Notre Dame de Paris

Seus famosos gárgulas

Seus famosos gárgulas

De longe a Catedral é até pequena, mas vista de baixo, de sua praça central, dá para impressionar com sua fachada e os gárgulas lá no alto. Mas o que realmente impressiona é a fila da segurança. Sol muito forte e fila enorme não combinam, mas é programa obrigatório. Pelo menos a fila é bastante rápida.

Lá dentro estava ocorrendo missa, então só pudemos dar uma passada pelos lados (aliás, não sei como o povo se concentra com tanta gente tirando fotos e falando alto…). Não sei se foi pela muvuca, ou se foi por ter ido lá depois de algumas catedrais gigantes na Inglaterra, mas a de Notre Dame  não pareceu valer tanta fama. Como estava por ali, a gente foi para a parte do Tesouro – e na hora de sair, quando a missa tinha acabado, aí sim deu para observar melhor a igreja, principalmente  o lindíssimo vitral do fundo, mudando um tantinho a impressão inicial.

Por dentro da Cateral

Por dentro da Cateral

OLYMPUS DIGITAL CAMERA OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Vale ficar de olho no horário e ir quando não tiver missa, para conhecer melhor o lugar. Uma outra ideia é conhecer a igreja e voltar para os Cantos Gregorianos, que ocorrem aos domingos e são gratuitos – quem já foi fala que vale muito a pena. A entrada na igreja é gratuita, e este é mais um motivo para passar ali.

Tesouro: Como disse, aproveitamos para visitar o Tesouro da Catedral, que tem desde túnicas papais, até as Relíquias de Cristo, como a coroa de espinhos e um pedaço da cruz. Aliás, achei esta lista e se estiver certa, são 22 relíquias, inclusive bizarrices como  “Lencinhos/nappies de Jesus quando criança” e “Leite da Virgem Maria”. O Rei Louis IX gastou uma fortuna dos franceses com estas coisas… é de se perguntar como demoraram mais uns 3 séculos para começar a revolução francesa.

 Mas tem coisas muito bonitas ali, mesmo para não católicos e achei até que valeu.  Para ver o tesouro é necessário pagar 3 euros, que não estão incluídos no Euro Pass – a gente entrou para esperar a missa acabar, mas algo imperdível.

Aqui é guardada a Cruz de Espinhos

Aqui é guardada a Cruz de Espinhos

As Torres: Quem tiver muito ânimo, pode subir as torres da catedral. São 400 degraus e, segundo li, claustrofóbicos devem evitar. A Isabeli foi minha desculpa perfeita, mas eu desisti ao ler ‘400 degraus‘. Vale acessar o Conexão Paris e decidir por si mesmo.

Cripta: Também dá para conhecer a cripta da Catedral, que inclusive está no Museum Pass, porém só quando dei com a porta na cara é que vi que não funciona de segunda – quem for outro dia da semana, pode curtir.

Com bebê: ali dentro é meio apertado, mas deu para fazer basicamente tudo com o carrinho.

Sainte Chapelle

O terceiro ponto da Ilha é a Igreja de Sainte Chapelle. Foi construída em 1239 para guardas as relíquias (as que estão em Notre Dame agora). A fama da igreja vem pelos vitrais. São dezenas de vitrais que contam desde o Gênesis até a volta de Cristo e em dia de sol deve ser a coisa mais linda do mundo.

Porém, em Agosto de 2012 estava em restauração, e metade dos vitrais encoberto. Os vitrais continuam impressionantes, mas a igreja estava um pouco escura e poderia ser mais bonito – foi meio decepcionante. De qualquer jeito, acho que vale muito a visita, especialmente por estar no Museum Pass, o que nos livrou de uma fila bem razoável.

Sainte Chapelle

Sainte Chapelle

Os vitrais...

Os vitrais…

OLYMPUS DIGITAL CAMERA OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Ficamos menos de 1 hora por ali – talvez tivesse ficado mais se estivesse mais bonito, mas vale a pena emendar na visita a Notre Dame

Com bebês: Aqui é complicado… são 2 pavilhões e para subir é uma escadaria em caracol bem apertada. Além disto, é proibido andar de carrinho e tem um lugar para deixá-los. Como é uma visita rápida, não chega a ser um problema.

Comecei falando que passear pela ilha é mais gostoso do que ver os pontos turísticos, mas está muito grande este post, então falo mais dela depois…

Um gostinho do Sena

Um gostinho do Sena

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: