Museu do Futebol

Entre os 10 e os 13 anos, tive uma fase viciado em futebol. Além do meu time ganhar tudo (o São Paulo de 91 até 93 era o melhor time do mundo), eu ainda acompanhava um monte de outros jogos. Sabia sempre a tabela de campeonatos italiano, espanhol, português… chegava mesmo a conhecer os times da Grécia e da Turquia.

Com o tempo fui parando um pouco de acompanhar e hoje acabo preferindo ver um filme a um jogo. Mas como ainda gosto e acompanho, sempre quis conhecer o Museu do Futebol – e finalmente este ano lá fomos nós.

O Museu do Futebol

Assim fomos ao Pacaembú em dia sem jogo. A entrada estava lotada de gente, mas era só o pessoal aproveitando as cercanias do estádio –  o museu em si estava bem tranquilo. Mais ainda: eu nem sabia quanto era, quando nos avisam que naquele dia em particular era de graça!

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Chegando…

Não pode tirar fotos lá dentro, então só comentando mesmo:

Na primeira parte, temos diversas telas de TV com momentos que marcaram época no futebol – gente conhecida relacionada ao esporte escolheu seus favoritos e assim temos desde momentos de Garrincha até o final da Copa de 94.

Perto das tvs, lugares para ouvir grandes narradores de rádio de todos os tempos – para mim o mais marcante é Osmar Santos, mas Fiori Gigliotti e mais um monte de gente estão ali com narrações incríveis. Emocionante!

No começo a Isabeli gostou de ficar vendo as telas, mas depois cansou – então ela se divertiu bastante mexendo nos botões do rádio – era tanta mudança de ‘canal’ que quase não consegui ver/ouvir nada durante um tempo.

A vista de cima, com a praça lotada de skatistas

A vista de cima, com a praça lotada de skatistas

Exaltação

Subindo a escada rolante, chega-se no melhor e também pior do museu. É uma grande parada onde diversas torcidas são projetadas em telão, com o som de como seria um jogador entrando no estádio. É simplesmente fantástico ficar ali ouvindo a gritaria, os fogos, a festa…

O lado ruim: a Isabeli ficou tremendamente assustada. A cada novo grito de torcida ela se encolhia mais e apertava com mais força no colo, começando a chorar – assim, a parte mais divertida é também um tanto assustadora para crianças – ao menos para a minha 😉

História

Dali percorremos um grande pedaço da história. Desde uma galeria com centenas de imagens, os primeiros jogos, times, campos…

Depois são vários totens sobre as Copas. Para cada uma, temos todo um contexto cultural e histórico da época com imagens de acontecimentos importantes naquele ano e claro: a história da própria Copa. As mais antigas tem menos informação, é claro. Eu poderia passar horas ali…

Para terminar a parte histórica, há uma área dedicada aos maiores: Pelé e Garrincha – aliás, esta área deveria ser maior…

Finalizando

Para finalizar, passa-se por uma série de murais com curiosidades, números e histórias do futebol. São cartazes e faixas sobre a origem de diversas jogadas, as maiores vitórias e piores derrotas, os primeiro artilheiros, o surgimento do futsal, futebol de praia e outros estilos do jogo.

Também por ali, uma rápida olhada no gramado e nas arquibancadas do Pacaembú – com a promessa de voltar algum dia, em dia de jogo…

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Meu primeiro estádio

Meu primeiro estádio

Para terminar, uma sala com diversos vídeos com gols e jogadas inesquecíveis – neste ponto a Isabeli já não parava mais quieta, então demos uma acelerada.

Marque seu gol

Já voltando ao primeiro piso, todo mundo pode testar sua habilidade e bater um pênalti – e depois ver sua foto no site. Mas preparese: a fila é gigantesca- eu que nem pensei em ficar…

Tudo isto é bem detalhado no site, na área “Percurso do Visitante

Com bebês

A primeira parte é um tanto escura e pode ser complicada com criança pequena, mas o único lugar realmente complicado foi o das torcidas. No restante,  tranquilaço!

Carrinho: para subir foi meio complicado, por ter que ir de elevador e este ser um pouco escondido. Lá dentro acho que nem ajudou muito, já que é tudo linha reta e não muito longo, assim eu deixaria carrinho em casa.

Troca: Felizmente, não tivemos que trocar nada enquanto estávamos por ali.

Informações.

O museu fica no estádio do Pacaembú e só precisa cuidar para não ter jogo no dia. Como falei, não pagamos nada, mas o preço é bem baratinho por tudo o que proporciona: Por R$ 6,00, você vai ter pelo menos 2 horas de diversão garantida em algo que tão caro é para quase todos os brasileiros.

E no final ainda tem uma lojinha. Caaaara, mas dá para curtir – e a Isabeli ainda ficou chutando umas bolas por lá.

Para terminar com chave de ouro, tinha um pedaço mais próximo ao gramado aberto para a gente dar uma última olhada neste que é um dos museus mais divertidos da cidade, que vale para todas as idades

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Anúncios

Uma resposta

  1. […] da Isabeli se assustar numa parte mais emocionado do Museu do Futebol, a gente se preocupou ao chegar em O Iluminado e ler:  ”Pessoas sensíveis tomarem […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: