Gramado e Canela – geral

Já falei de quase tudo o que normalmente coloco nestes posts, então aqui é mais para juntar num lugar só as dias importantes par se planejar para a região

Hospedagem

Como havia dito, resolvemos ficar em Canela por questões econômicas mesmo – isto parecia arriscada mas no final ficou bastante legal. O Tissiani/Bela Vista é um hotel bastante confortável e razoavelmente bem localizado. Dali para o ‘centro’ de Canela eram somente umas 3 quadras, e a mesma distância até a rodoviária.  O único lugar que precisa dar uma boa caminhada é até a “Catedral de Pedra” – caminhada esta que vale a pena fazer 🙂

Café da manhã bom e mais importante: no dia do Tour da Uva e Vinho, eles servem bem cedinho…  Bons livros no salão de leitura e uma grande sala de jogos para quem gosta. A única coisa bastante importante que faltou é internet wi-fi, já que isto não existia. Mais comentários aqui

Transporte

Mais uma vez menciono que entre Gramado e Canela é muito tranquilo.. da rodoviária sai ônibus a cada 20 minutos, e leva uns 15 até o centro de Gramado. Tem o horário aqui e o principal: só teve atraso (grande) 1 única vez entre as diversas vezes que fizemos este trajeto.  A rodoviária é bem pequenina e fica em frente ao Hostelling International

O busão é de linha mesmo, então conforto é algo que não existe, além de algumas vezes estar meio cheio e custa pouco menos de 2 reais, se bem me lembro…

Alimentação

Por mim, o ideal era pegar o Destemperados que tem uma quantidade gigante de dicas de restaurantes da região, mas haja dinheiro hehehe.

Além de se esbaldar nas diversas chocolaterias (foi dificil, mas só comi um pouco na Caracol) , algo que tem toda a ‘cara’ da região é pegar um foundue – no caso, algum dos rodízios. E são dezenas de casas que o servem, assim é ver a que parece mais interessante e aproveitar. Mas para ser honesto: não sei se foi o lugar ou o que, mas o melhor que já experimentei foi em Monte Verde, aqui pertinho de casa…

Outro que tem-se alguns são as “Galeterias” Nós fomos na Galeto Italia almoçar com o ônibus mesmo. O lugar era ok, comida boa (ainda que um pouco gordurosa) e o tal galeto realmente excelente, mas havia um monte de ônibus de excursão e com tanta gente aquilo era uma confusão só, com os garçons se batendo para servir adequadamente… em outra época, deve valer a pena, mas com tanta gente é meio desconfortável(pelo menos, pude experimentar também a famosa Sopa de Capeleti… que é ok, mas prefiro com molho mesmo hehe). 2 pessoas = R$ 63

Para comer direito, só quando a gente estava sem o grupo mesmo… ali em Canela tem um restaurante alemão ao lado do hotel que foi muito elogiado – o que eu fui é o Dalla Ristorante Só eu mesmo para ir num lugar servindo Rodízio de Pizza e comer ravioli! Pelo menos, este estava muito bom e dava para umas 3 pessoas comerem sem problemas. Total: R$ 58,00

Mas claro: não tinha como ir embora sem passar na Pastasciutta que em todo lugar que vejo é comentada, sempre com elogios. É um pouco mais caro (R$ 90,00 para os 2) mas peguei um gnochi al funghi que é coisa de doido, valendo a fama que tem…

Além destes todos, ainda ficou faltando conhecer algum Café Colonial – mas ficou faltando tanta coisa nesta viagem, o negócio é marcar para voltar o mais breve possível 😀

Anúncios

Trem a São Pelegrino

Depois de um almoço muito ruinzinho (depois falo sobre) é hora de voltar aos passeios – agora com os 2 principais lugares do dia!

MARIA-FUMAÇA

Este passei tem dias especificos, mas num feriadão destes o pessoal colocou mais horário, assim as operadores conseguiriam acomodar todo mundo (mas sozinho penso que ia sofrer para conseguir entrada). O passeio sai de Bento Gonçalves mesmo e vai até Carlos Barbosa num trajeto de uns 90 minutos que é muito divertido. O site é este e cuidado que tem um som meio alto…

Logo na saída, todo mundo ganha seu copinho de plástico e aproveita para se esbaldar em suco de uva 😀  Quando o trem começa a sair a gente fica de olho na paisagem da região, mas a verdade é que nem tem lá muita paisagem ali para se ver – o que realmente se aproveita são os shows dentro do trem. São basicamente 5 atrações, com uma espécie de teatro caipira, um grupo de música gaúcha e o meu favorito, que foi um grupo de gente já mais idosa animadíssimos, tocando música italiana..

Preparando para sair

Boa música!

Teatrinho divertido

Durante o trajeto também há uma parada em Garibaldi – a gente nem sequer sai da estação, mas o pessoal aproveita para degustar (a esta altura, esta mais para beber mesmo) mais vinho, e também para conhecer a frente do trem, lembrando os filmes de Faroeste!  Em Carlos Barbosa te aguarda um show italiano para despedida…

Parece uma lareira gigante...

Maria Fumaca

É uma passeio delicioso que recomendo a todo mundo – principalmente pela farra das atrações dentro do trem. Quem estiver sem transporte tem a opção de voltar até Carlos Barbosa de ônibus com a própria empresa que opera a maria-fumaça – no site tem informações

CAXIAS DO SUL

Para finalizar, mais um trajeto razoável dentro do ônibus até esta cidade onde a única coisa que fazemos é visitar a Igreja de São Pelegrino que é um estupor. Eu sei que muita gente não gosta de igrejas, ainda mais no Brasil, mas o negócio é magnífico! Aldo Locatelli ficou 10 anos pintando o teto, como se fosse uma Capela Sistina brasuca – há lugares em que as figuras do teto parecem estar descendo prá cima da gente.

Não bastasse a beleza do teto e dos painéis nas laterais e na frente, a porta de entrada é uma escultura ‘per se’ e tem também uma réplica da Pietá na entrada. Seja lá qual for sua religião, ou mesmo que não tenha religião alguma, não dá para ficar impassivo perante a grandeza do trabalho que o cara fez. Um espetáculo, sem dúvida alguma!

Igreja de São Pelegrino

Entrada da igreja

Teto da igreja de São Pelegrino

Detalhes...

Detalhes do teto

Pietá

Após esta parada, ainda passamos em uma loja de calçados femininos e seguimos de volta ao hotel, chegando por volta das 19 ou 20 horas. Um roteiro com tudo o que fizemos eu achei aqui  e o preço médio que vi antes de ir é R$ 140,00 já incluindo a Maria Fumaça

PARA TERMINAR

O último dia só tinha parte dele livre, então aproveitamos pela manhã para ir no “DreamCars” do post anterior e também passar nas lojas na avenida que liga as duas cidades, principalmente lojas de sapatos – e para isto o ônibus que cruza as cidades serviu muito bem, provando mais uma vez que apesar de ser importante, dá prá se virar sem carro sem problemas.

OUTROS

Apesar de vários lugares que fomos, ainda ficaram vários de fora. O mais conhecido é o Parque Knorr (conhecido como “Aldeia do Papai Noel” mas nesta época estava fechado. Também o Gramado Zoo é muito bem falado, por ter a maior parte dos bichos soltos. Na parte de Canela temos o Alpen Park com arvorismo, rapel e um trenó que passa no meio da mata.

Ou seja: em 3 dias dá para ver o básico, mas há tanta coisa para fazer que daria para ficar vários dias somente na parte entre Gramado e Canela; e ainda existe toda a região de Bento Gonçalves e Nova Petrópolis para se conhecer…

Uva e Vinho

Mais uma semana, mais um post… neste ritmo acho que até o Natal eu termino de falar do Carnaval hehehe

Bom: passeio clássico da região, oferecido por diversas agências, é este chamado “Tour da Uva e Vinho”, onde como o nome já diz nós passamos por algumas cidades da região de uva da Serra Gaucha, com passada em vinicultura e um passeio de maria-fumaça que é uma delícia! Especialmente nesta época concorrida e super-lotada, é o típico paseio que pela comodidade vale a pena fazer com agência mesmo… até porque os ingressos de trem ficaram bastante difíceis de serem comprados se não for por agência.

Mais um post que vou dividir em 2, mas a segunda parte prometo que entrego logo…

NOVA PETRÓPOLIS

Saimos bem cedinho de Canela rumo a Nova Petrópolis cidade que desde sempre tendo a associar a montanhas. A saída tem que ser bem cedo mesmo porque neste dia se roda bastante. Em Nova Petrópolis, o lugar principal é a Aldeia do Imigrante que foi criada para lembrar um pouco do histórico da imigração alemã, que é tão forte no lugar.

Para chegar até a aldeia propriamente dita, tem-se uma caminha rápida num arvoredo que é uma delícia para refrescar no sol que começava a ficar forte, além de um lago que lembra o Lago Negro de Gramado.

Aldeia do Imigrante

A aldeia propriamente dita são diversas casinhas no estilo Enxaimel(é este o nome?) que fazem um lugar bastante bonito e aconchegante. Cada casinha (como a escola, o Engenho, a Capela..) tem suas explicações em português e alemão e em diversas delas tem-se um pequeno museu com artefatos ligados à motivação daquela construção, como um cofre no banco.

Aldeia histórica

Cadê o dinheiro daqui???

Aldeia do Imigrante

Também no fundo há um antigo cemitério (e percebo que tenho uma estranha tendencia a visitar cemitérios em minhas viagens) e a bonita capelinha. Para finalizar, pode comprar Cuca ou outros bolos e pães prá levar prá casa (me contentei com o cheiro mesmo), além de um pequeno museu com roupas usadas para fazer as festas anuais típicas.  Enfim: é um passeio bem divertido e que leva no mínimo 1 hora para se conhecer rapidamente o lugar – valeu bastante a pena.

Outro ponto famoso na cidade é o Labirinto Verde que estava passando por manutenção (e segundo o site, continua) – provavelmente até o inverno esteja recuperado!

CARLOS BARBOSA

Dali, seguimos para um dos lugares mais importantes de toda a viagem: um ‘outlet’ da Tramontina! ok, ok… prá mim poderia ter passado longe, mas o pessoal (esposa incluída) se esbalda em compras, então já viu hehehe

 A verdade é que a Tramontina aparentemente iniciou ali, então tem-se fábrica na região e uma mega-loja em que tudo é mais barato – desde facas e garfos até umas panelas industriais, passando por furadeiras e o que for, tudo eles garantem o preço – o que explica a razão da parada. Para turismo, vale a foto neste boi e seu sorriso metálico na frente da loja 😀

Boi da tramontina

BENTO GONÇALVES

Finalmente, chegamos na cidade mais famosa do circuito. Muita gente que vem com mais tempo acaba dividindo a estadia, com alguns dias em Gramado e outros aqui em Bento Gonçalves, terra famosa por suas uvas e principalmente vinícolas. Quem puder passar mais tempo na região, pode acessar “idas e vindas” que tem um relato que vale muito a pena!  Já o site oficial para turista é este

Mas para a gente, a passada na cidade se resumiu à Vinícola Aurora  Ao chegar no lugar, é passado um vídeo contando um pouco da história da vinicola e mesmo da região – mas mais interessante que o vídeo era o cheiro fortíssimo que estava em tudo ali. A explicação: estamos colhendo as uvas! ô beleza!

Acabando o vídeo, descemos para os subterrânos, onde ficam os enormes barris para armazenamento e fermentação da uva. O passeio dura uns 30 a 40 minutos com a explicação sobre o processo e eu sempre me divertindo nos barris de madeira. Para finalizar, o momento que todo mundo mais espera, que é a degustação. E pela primeira vez eu também pude aproveitar, já que serviram também suco de uva ‘normal’ e branco – não sei como é o vinho, mas o suco dos caras é muito bom hehehe

Vinicola Aurora

Vinicola Aurora

Haja Vinho...

Terminando, pode aproveitar a loja, e também atravessando a rua tem uma outra lojinha com artesanatos e outros doces e geléia da região.

O caso é que mesmo eu que não bebo sempre acho legais estes passeios em vinicolas – quem gosta então, não pode perder de jeito algum. Só esteja preparado para enfrentar uma quantidade gigantesca de gente se for num feriado..

Gramado e Canela – arredores 2

Dreamland

Museu de cera é um ‘guilty pleasure’, aquela coisa que dá um pouco de vergonha de dizer que a gente gosta- mas o fato é que o único que conheci antes me diverti bastante 😀  Pois aqui também me diverti, mas por motivos diferentes… nunca esperava encontrar um Indiana Jones quase negro, mas neste tem hehe

A verdade é que a maior parte dos hollywoodianos e celebridades ali presentes estão meio estranhos (alguns irreconhecíveis mesmo, como Jodie Foster em Maverick), mas ao menos os personagens de quadrinhos e filmes estão muito bem feitos, e a área dos piratas é muito divertida! Se tiver tempo e não tiver ido em algum antes até vale a pena, mas está longe de ser imperdível.  A entrada custa R$ 20,00 mas combinada com o próximo sai mais barato um pouco

Homem aranha

 

Os ogros se encontram

Harley Davidson Motor Show

Fica no subsolo do Dreamland este ‘bar‘ que emula um salão de motoqueiros tem Harleys para deixar qualquer um doido. Ao contrário do anterior, este aqui é recomendadíssimo!  Só é uma pena que para tirar fotos sobre as motos tem que pagar uma tarifa extra e o pessoal mesmo tira a foto, então no máximo você sai na frente destas motos que representam todo um estilo de vida. Como falei com a Mima: dá até vontade de vender o apertamento prá comprar uma moto destas – ou melhor, prá dar entrada

Harley Davidson

 

Descanso após tantas aventuras 😛

A entrada é meio carinha – R$ 20,00 – mas combinando com o Dreamland creio que sai 30 pelos 2, o que talvez seja um motivo prá aproveitar conhecer o Dreamland também (além do fato de já estar ali, é claro)

Hollywood Dream Cars

Este aqui não faz parte do city tour ‘do pacote’, mas já que estou no assunto 😉   No último dia, como era livre, aproveitamos para passar neste último museu temático que queria conhecer, e que soube depois ser do mesmo dono do Harley Motor Show E este valeu muito!

São 1000 metros quadrados com carrões de diversas épocas, principalmente anos 40 a 60. São vários carros imortalizados por filmes de hollywood e gente como Elvis Presley, Marilyn Monroe e mesmo Al Capone. Detalhe a mais: um rapaz que trabalha lá nos conta que ali fica uns 20% da coleção do dono somente, e que a cada 6 meses em média ele dá uma modificada nos que estão em exposição. Para quem é apaixonado por automóveis e mesmo para quem não está nem aí para estes, o museu é imperdível. Vale cada centavo dos R$ 20,00 pagos.

Um saída de mestre

 

Cadillac 1951

 
“]

Lembra a corrida

 

Lincoln 46 - favorito de Capone

 

Cabriolet 1930

Detalhe: para tirar fotos nos carros também tem que pagar extra, mas ali também temos 2 Harleys onde pode aproveitar!  Por último, do lado de fora ficam 2 carrões para quem estiver afim de dar uma volta… não lembro o preço, só que é caro

Rumo a Route 66

Museu de minerais

Aí está um que eu não fazia a mínima questão de conhecer, e nem iria se não fosse parada da excursão, mas o tal surpreendeu. Por R$ 5,00 temos uma boa quantidade de pedras preciosas extraídas principalmente do Brasil. Meu destaque vai para uma pedra enorme que está em seu estado bruto, toda feiosa e com um pequeno buraco para olharmos – dentro deste buraco é que vemos uma daquelas maravilhas de quartzo, toda azul e brilhante… é surpreendente!

Museu dos minerais

Também há uma vitrine com diversas pedrinhas pequenas, onde o que mais gostei foi lá no final esta pedra que está na foto abaixo. Repare que dentro dela tem um monte de coisinhas – estas coisinhas são pernilongos, mosquitos e outros insetos que ficaram presos e agora estão aí como fósseis.  Não diria que o lugar é imperdível, mas se puder dar uma passada eu acho que vale a pena.

Detalhe dos insetos-fósseis...

Outros

Há ainda diversos outros museus e parques em que não fomos – ou por estar fechados (como o famoso Park Knorr), ou simplesmnete porque tem muita coisa prá fazer (como quase todo o resto). O site da prefeitura está bem legal em listar os pontos e a partir dali é só escolher o que parece interessante e pesquisar um pouco mais: http://www.gramado.rs.gov.br/index.php/Atrativos/Pontos-Turisticos.html

Gramado e Canela – arredores

Como falei, há muito mais na região, especialmente na estrada que vai de Gramado até Canela – são diversos pequenos museus e parques e como são bem variados os temas, acabam valendo a pena.  Antes de começar: as fotos que estão mais estranhas é pq acabou a bateria da máquina bem no meio do dia, então foi com o celular mesmo – triste isto hehe

 

Museu do chocolate

Sem dúvida, uma das grandes perdições da vida, há diversas fábricas de chocolate na região e resistir é muito difícil. Algumas destas fábricas criaram museus, sendo um dos principais o da Prawer  Nós fomos ao da Caracol cujo link é este O ingresso é R$ 5,00 e vale bem a pena – se estiver com criança então, elas fazem a festa.

 Já na entrada, temos o “maior coelho de chocolate do mundo”, que recebe cobertura extra a cada 6 meses; ao lado há uma mini-fábrica com o pessoal na época fazendo ovos de páscoa (que são bem mais baratos – e mais gostosos – que o das marcas mais conhecidas).

Coelinho recordista

Preparando para a pascoa

 E aí entramos na parte da história do chocolate. Esta história tinha lido algo num pequeno museu em Campos do jordão, mas não dá prá comparar: aqui temos a história e também um clima bem legal, além de alguns bonecos que representariam esta história. Claro que temos que fazer nossas poses sem noção para as fotos, né 😀

Todos adoram a Mima

 

Vai encarar?

No final, vamos a chamada “galeria da história” onde temos também vários objetos feitos em chocolate! Ao final ainda tem a lojinha prá dar o último adeus a qualquer tentativa de dieta hehe

Totem de Chocolate

O mundo a vapor

Um dos lugares mais clássicos da região,  o Mundo a Vapor teve sua primeira miniatura criada em 1950 e já em sua entrada tem a famosa réplica de um acidente de trem ocorrido na França.

Mundo a Vapor

Dentro o que tem são diversas miniaturas de fábricas, todas funcionais e diversas delas com explicações, que valem a pena ser ouvidas. por exemplo tem a pedreira, a siderúrgica, fábrica de papel (vc pode ficar com uma amostra), usina termelétrica e outras. Além disto, tem também um trenzinho que faz uma volta minúscula, mas foi bom prá relembrar a infância…

 

Fabrica de papel

A entrada fica em R$ 14,00 e apesar de parecer um pouco cara, vê-se bem o uso em cada uma das miniaturas.

Mini mundo

Outro dos mais clássicos, vale demais a visita. O Mini Mundo começou com os estímulos de netos para com seu avô, que foi fazendo réplicas de cidades da sua Alemanha natal, e estas réplicas foram aumentando e aumentando ao ponto de se formar uma enorme cidade, todos 24 vezes em relação ao seu tamanho verdadeiro.  Escrevendo miniatura pode parecer com o Mundo a Vapor, mas é algo totalmente diferente, não se preocupe.

Na verdade, são diversos pontos turísticos de diferentes lugares do mundo, que estão sempre aumentando – alguns dos mais recentes são a igreja de Ouro Preto, e o aeroporto de Bariloche com a Cordilheira dos Andes ao fundo. Outra parte bem interessante são os ‘habitantes’. Tem-se ali a contabilização dos pequenos que vivem espalhados na região e que até mesmo fazem eleição para prefeito!

Mini Mundo

 

Lendo aqui as pessoas podem achar meio infantil, mas se por um lado a criançada sem dúvida adora, também encanta aos adultos a precisão de tudo, a técnica e organização usadas. São R$ 14,00 para adultos e 7 para crianças e maiores de 60 e sem dúvida vale cada centavo investido!

Lago Negro

Depois de tanta miniatura vamos a algo mais natural. Ainda que o Lago seja artificial ele já está ali há tantos anos (desde os anos 40) que praticamente faz parte da paisagem. É um lugar excelente para um piquenique ou, caso não possa, para pelo menos dar uma volta embaixo das árvores.O lugar é muito bonito e vale demais a visita – até mesmo por ser gratuito.

 A criançada vai aproveitar os pedalinhos e quem não quiser pode alugar uns carrinhos tipo de golfe que vemos em filme americano – mas a volta ao redor do lago é tão rapidinha e prazeirosa que vale é a caminhada mesmo! Só tente ir mais no começo da manhã ou fim da tarde ou vai encontrar super lotado o lugar 😉

*Não é minha a foto, mas não sei a quem dar o crédito...

Para não lotar de informação, no próximo post coloco sobre os outros lugares que a gente conheceu…

%d blogueiros gostam disto: