Everglades

Já  tinha ouvido falar em Everglades, mas era só mais um lugar até ler a palavra mágica: Airboat e já imaginei um monte de filme e seriado com aquelas perseguições… lógico que tinha que ir – e tivemos um dos dias mais divertidos da viagem toda.

Mas o Parque é gigantesco – ocupa um espaço muito grande da Flórida, tendo 3 entradas principais e várias fazendas com passeios para Jacaré, então há muita coisa para se escolher. Dá para acampar, fazer caminhada pesada e alguns passeios mais leves. Acabei pegando 2 dos principais, que ficam em uma linha praticamente reta a partir de Miami, ambos na  US Highways 41

Shark Valley

Apesar do nome, não há tubarões em Everglades. O nome Sharkvalley  é por causa do “Shark River” e foi o melhor lugar para ver Jacarés. Ali tem um caminho pavimentado que é chamado simplesmente de “O Loop” e tem 15 milhas. Quem estiver muito animado, pode fazer este caminho andando, mas não sem antes pegar um monte de material de segurança na entrada do local. Os que querem fazer alguma atividade, mas não tão pesada, podem fazer o caminho de bicicleta mesmo, que deve ser bem divertido.

Shark Valley

Mas a maioria faz como nós e usa o Tram Ele é um carrinho aberto que leva um monte de gente, como uma excursão mesmo. O passeio dura 2 horas e o melhor de tudo é que temos um guia, que nada mais é que um ‘Ranger’ do próprio parque. Ele e o motorista vão parando sempre que veem alguma coisa – e o povo tem olho ninja, viu! É impressionante como conseguiram achar um monte de filhotes tomando banho de sol, ou os adultos só com os olhos do lado de fora.

Nada como um bom banho de sol...

Só de olho..

No meio do loop, parada para subir num mirante – a vista lá de cima é excelente para dar uma ideia melhor da dimensão lugar, e também para encontrarmos outros bichos: logo no começo encontramos uma cobra que deixou todo mundo assustado – mas acho que ela era a mais assustada de todos.

E lá de cima foi interessante ver um encontro quase fatal entre uma tartaruga e um jacaré – fatal porque jacaré come tartatuga (sua mordida tem força prá quebrar o casco delas). Mas no último minuto ela acabou mudando de direção, e o jacaré não devia estar lá com muita fome hehe

Caminhar faz bem prá saúde

Pedacinho de everglades

A entrada foi de U$ 19,00 cada e para entrar no Parque, pagamos mais uma tarifa de U$ 10 por veículo. Vale muito a pena o passeio – e mesmo que for fazer de bicicleta ou de outra maneira, ainda vale fazer o de TRAM, para poder aprender um monte de coisa com o guia. Por último: cuidado com os horários – na baixa temporada são somente 4 saídas por dia e na alta umas 3 ou 4 mais, mas são limitadas.

Nem só de jacaré vive o Shark Valley

Mais filhotes..

Safari Park

Voltando em direção a Miami, chegamos ao Safari Park. Almoçamos por ali mesmo – podíamos comer jacaré, rã ou peixe-gato, mas preferi ficar no ‘normal’ mesmo. Gastamos uma média de 20 dólares cada, com sobremesa e gorjeta. Depois, ao passeio propriamente dito – e neste tem saída o tempo inteiro.

Airboat

Porém, antes de chegar ao AirBoat, alguns jacarés pareciam posar para fotos! Já no barco, nos dão protetores de ouvido, porque o negócio realmente é muito barulhento!

A ideia do Airboat é porque ali é uma região muito alagada, porém em muitos lugar são apenas uns poucos centímetros de água – sendo impossível um barco a motor. Assim, criaram estes com uma grande turbina que usa o próprio vento como fonte de energia.

Primeiro vamos devagar até sair dos canais mais próximos, mas o divertido mesmo é  quando ele acelera e vai como se estivesse deslizando pela água – a velocidade parece muito alta, e para virar ele primeiro começa a deslizar de lado, para só depois virar totalmente o barco. Foi tão legal que nem a chuva que caiu atrapalhou este passeio de uns 40 minutos. Acabamos não encontrando nenhum jacaré neste passeio, mas como já tínhamos visto um monte no Shark Valley, nem fez falta.

Posando para fotos

Dentro do barco

Nosso comandante

Em alta velocidade

Depois do barco, um palco para acompanhar um treinador e um monte de jacarés grandões. Foi interessante ele mostrar como funciona a mandíbula do bicho, e mais um pouco de histórias sobre eles. Como o próprio treinador disse: se não conhecesse todos desde pequenos, de jeito nenhum ele ficava por ali!

Bicharada com fome

Tem que ser muito doido prá trabalhar nisso

No final, por mais U$ 3,00 ainda pudemos tirar foto segurando um filhote – pode parecer muito, mas são poucas as vezes que vamos encontrar um destes por aí para carregar. O legal é a cara de tédio do bichinho enquanto todo mundo ia morrendo de medo tirando as fotos 🙂

Meu novo amiguinho...

Com  o Cupom de desconto ficou em U$ 20 por pessoa o passeio completo – e creio que ficou perfeito o passeio do Shark Valley+Airboat! Foi bom porque são lugares bem diferentes, e complementares – e se acontece de não encontrar jacaré em um, com certeza encontra no outro

Gator Park

Por ultimo: um lugar que sempre aparece nas pesquisas, e que tem o melhor site, é o Gator Park  O passeio ali é parecido com o que fizemos no Safari, só que é mais famoso, pois é para este que vai a maior parte das excursões. Porém, no Trip Advisor há muitas reclamações sobre a extrema insistência na gorjeta – e se até os americanos ficam incomodados, é porque está realmente feio. Claro que no Safari também pediram, mas não era nada exagerado como falam que é no Gator.

De qualquer jeito, há cupons muito interessantes lá – tentei usar um que se chegar antes das 10h00 vão 2 pessoas pelo preço de 1, mas acabei perdendo a entrada. Assim, se conseguir usar um cupom destes ótimo – caso contrário, vá para o Safari que me parece muito melhor

%d blogueiros gostam disto: