Cesky Krumlov

Depois de finalmente terminar o curso do SQL, de terminar a primeira parte da reforma da casa, e passar metade do domingo esfregando o quarto prá tirar o cheiro de removedor, vamos a um dos pedaços finais da viagem em parte do antigo Leste Europeu 🙂

Junto com Carcassone na França, e a Rota Romântica na Alemanha, Cesky Krumlove é a cidade que mais ouço falar como “De contos de fadas”. E realmente é uma maravilha esta cidade…

COMO CHEGAR

Para chegar lá, há várias maneiras. Uma das que me pareceu mais interessantes foi ir de Viena direto para lá, passar a tarde, pernoitar e só no dia seguinte embarcar para Praga. Há detalhes bem legais aqui sobre como fazer isto usando fretado. Se tiver mais tempo, pode até aproveitar e conhecer Linz, na Áustria.(Update: Na verdade, o link aí é sobre Cesky propriamente dita – o post correto é  este, no final da parte de Viena. )

Porém, pelo meu roteiro acabaria chegando em Krumlov num domingo e teria a segunda para conhecer a cidade, justo o dia em que algumas atrações são fechadas. Assim, depois de muita pesquisa, e contra a recomendação de mentes mais sensatas, fiz um bate-e-volta a partir de Praga mesmo: 3 horas para ir, outras 3 para voltar…

A partir de Praga dá para ir de trem, porém este envolve trocas de trem em Cesky Budejovice (que dizem ser um lugar legal também) e a estação fica longe da cidade. A outra opção é o ônibus, que é necessário comprar com antecedência porque o que fui saiu lotado e voltou lotado também. Comprei em http://www.studentagency.eu/ A saida fica no terminal Na Knizeci e o tram 9 saía direto da frente do hotel até lá, e de metrô fica próximo a estação ANDEL. Comprei a ida as 9, com previsão de chegada as 12h00, para voltar às 19h00, assim teria o dia todo para aproveitar o lugar. O bus é bem confortável e os atendentes falam tcheco e inglês (devia ter quase só turista ali), Dormi a viagem toda,então foi rapidinho hehe Lá na cidade, a parada é bastante próxima: é só seguirmos para uma ponte que de longe já vamos vendo um pouco.

Entrando na cidade..

 Mas é ao passar o portal que realmente parece que estamos em outro mundo, um mundo que parou no tempo, há alguns séculos… Vindo por ali, você já pode seguir direto para o Castelo, construido no século 13 e onde, após passar o povo vendendo um monte de coisas, chega-se a um fosso, que estava super lotado de gente vendo um urso brincando com um barril. Para ficar realmente um castelo medieval, só faltava a ponte ser levadiça!

Urso e seu barril, prá alegria da criançada

TORRE

Logo em frente tem a Torre do Castelo, que apesar de um pouco bagunçada (por estar também em restauração) tem uma vista impressionante da região. Dá para ver bem o Rio Vltava que circunda a Inner Town, a cidade velha, e enquanto todos pensavam em cidade de contos de fadas, eu pensava mais naqueles filmes de Guerra Medieval, imaginando a torre cheia de vigias e arqueiros se preparando para atirar nos invasores. Mas independente dos devaneios que a gente veja,  esta subida é obrigatória!  Detalhe legal é também ficar vendo um caiaque após o outro passando com o pessoal no rio lá embaixo… principalmente os que viravam hehe

O fosso - só faltava a ponte ser levadiça...

Cesky Krumlov

O Rio Vlatva circunda todo o centrinho histórico…

INNER CITY

No Castelo, há 3 tours guiados que podem ser feitos, todos durando aproximadamente 1 hora e que pode ter seus detalhes vistos em http://www.castle.ckrumlov.cz/docs/en/atr3.xml, com o preço individual e também familiar, que dependendo da quantidade de pessoas, vale bem a pena

Peguei o tour 1, porque visitava os apartamentos mais antigos, da época da renascença. Como só havia horário para mais tarde, desci pela escadaria até a chamada Inner city, o pedaço da cidade que é praticamente uma ilha circulada pelo Vltava e onde ficam o restante das atrações do lugar.  Na verdade, nem tem tanta atração assim ali no centro. Fala-se no Egon Schiele Art centrum, o Regional Museum e St. vitus Cathedral, entre outras coisas – mas acabei não entrando em nenhum, pois a cidade basta por si mesma.

Inner City

A cidade é Patrimônio da UNESCO

Para almoço, fui em um lugar ali no centro mesmo e na hora de sair estava começando uma bela chuva, o que teve um efeito inesperado… ao subir novamente as escadas para o castelo, aquele monte de gente descendo e subindo pela escadaria um pouco suja e com barro por causa da água deu a impressão ainda maior de cidade da idade média, então até a chuva colaborou neste dia 🙂

HRADCANY

Relembrando que Hradcany é Castelo. Pegar algum dos tours (qualquer deles) é muito recomendado e é uma pena que mais uma vez não havia como tirar fotos… do tour 1 o que mais gostei foi a sala das carruagens, mas mas muita gente adora as porcelanas asiáticas, que ainda hoje são caríssimas, então imagine-se naquela época, quando tinham que vir de barco de tão longe. O final é num grande salão de festas, que ainda hoje recebe alguns concertos (e quem for pernoitar na cidade, verifique horários porque deve ser algo inesquecível

Após o tour, siga para os ‘fundos’ do castelo em direção aos jardins, passando por um lugar chamado “Most na Plasti“, que é um corredorzão com mais uma vista linda (mais uma) da cidade.

Mais uma vista da cidade...

Os jardins ao fundo são bonitos, mas não se comparam as dos de Viena, ou mesmo ao do Castelo de Praga. O divertido foi que lá no fundão tinha uma parte fechada ao público de onde de tempos em tempos tocava uma música alta e passava um monte de gente gritando, se ouvindo em seguida o barulho de espadas e lanças – não sei o que gravavam/ensaiavam, mas não tem lugar melhor para este tipo de coisa que ali.

Jardins

Como ainda tinha umas horinhas, desci por uma rampa perto dos jardins mesmo, que passa por baixo do Most Na Plast (e só passando ali para ter uma ideia melhor da dimensão daquilo) – só cuidado que há 2 caminhos: após sair pela esquerda na parte baixa do jardim, a primeira saída a direita vai direto para baixo deste ‘boulevard’, mas logicamente eu preferi ir direto para ‘ver onde vai dar’ e deu foi na estrada e num enorme estacionamento, assim se resolver ir práqueles lados, saia logo na primera 😉

Most na Plasti

D ali nas pontes dá para ficar um bom tempo vendo o pessoal passando nos caiaques. Como não estava preparado para me molhar (e a chance disto é grande), ficava mais torcendo para quem passava virar 🙂 – ok, era pura inveja mesmo…  Vale a pena ficar passeando entre as pontes, só olhando a miríade de turistas (e vá preparado, porque somos muitos!!).

Povo se aventurando nos caiaques, e a gente torcendo prá cairem...

Mais um tempo pela cidade e antes de ir embora, parei num dos cafés a beira do rio… só queria passar um pouco o tempo, então pedi uma panqueca, mas veio este pratão enorme, perfeito para terminar o dia totalmente açucarado (não contem prá médica) numa cidade que é maravilhosa, mesmo sendo o lugar mais lotado da viagem.

Pedi Palacsynt, veio este monte de coisa... tava uma delícia!

Para voltar, o ônibus sai do mesmíssimo lugar onde chegou – há um ponto no sentido contrário na avenida, mas não é aquele; o ponto é o mesmo da chegada. Mais 3 horas e estamos em Praga.

RESUMO

Apesar do medo de ser um bate-e-volta pesado, afinal foram 6 horas na estrada, foi bem tranquilo. A ida e a volta foram basicamente dormindo no ônibus e o dia foi bastante completo, compensando demais o passeio. A cidade é maravilhosa e mesmo Praga já sendo demais, 1 dia em Cesky é algo totalmente inesquecível – e como disse, mesmo a chuva não chega a atrapalhar (ok, choveu só um pouco naquele dia…). O que precisa é reservar a passagem antes de ir até Praga, e lá em Cesky´.

Quem não gostar de chegar as 22h00 em Praga, pode sair no ônibus das 17h00 de Cesky que já terá tido tempo de conhecer tudo (especialmente se for no inverno) – mas estas 2 horinhas a mais, onde eu basicamente não tinha nada a fazer exceto passear pelo rio, sem nenhuma ‘obrigação’. E dos lugares em si, o que vale mesmo é o Castelo: faça algum dos tours (veja nas descrições qual o seu preferido, ou faça mais de 1), depois suba até os jardins, desça lá por trás para voltar ao centro passando pelo boulevard. Enfim: aproveite, que este será um dos pontos altos da viagem!

Ah sim: não consegui resistir e coloquei este monte de foto, mas quem quiser ver mais ainda é aqui

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: