Compras em Paris

É engraçado que, mesmo escrevendo tão pouco sobre compras, estes acabam sendo dos posts mais ‘populares’ por aqui. Assim, tinha que escrever sobre as compras em Paris também, não?

Champs Elysees

Este é o básico – e caaaaro. Para quem procura lojas de grife como Louis Vutton, Cartier ou mesmo carros esportivos, você está no lugar certo. Mas não é só de alta costura(e preço) que vive a Champs, não.

Ali também encontramos uma enorme Fnac, que dá para deixar malucos os fãs de filmes e eletrônicos; tem uma loja da Disney bem pertinho da fnac. E claro, o paraíso da Mima: tem uma Sephora gigante!

Aliás, foi na Sephora que tive um encontro interessante: estava andando, quando passa uma muçulmanas coberta dos pés até a cabeça, só os olhos de fora. O interesse:  só a burca e a roupa preta cheia de enfeites dela devem ter custado mais que nossa viagem toda.

Para mais da Champs, vale acessar aqui

Galerias

Há 2 grandes prédios que vendem de tudo e que costumam ser lotados de brasileiros: A Printemps e a Galerias Lafayette Fomos somente na Primtemps, mas a outra fica perto. De metrô a gente se perdeu um pouco, mas acabou achando. Já estávamos tão cansados (viemos aqui depois da Champs Elysees) que nem procuramos muita coisa, mas é enorme.

O que realmente valeu foi a parte de comidas… além dos pães e doces típicos, tem um monte de coisa de todo tipo (acabei comprando um azeite de trufas – que tem cheiro de gás, mas aí é outro papo) e vale o passeio – mas quem for comprar para valer, vale a pena aproveitar os 2 magazines e, quem sabe, tirar o dia por ali.

Rue de Rivoli

Aqui sim foi o negócio. Como falei, estávamos ao lado de uma Zara, então um dia fiquei com a filha no AP e a esposa foi fazer compras. Além da Zara, tinha uma Sephora, H&M e até C&A, todas pertinho uma da outra. O único cuidado ali é que Domingo parece deserto, com praticamente todas as lojas fechadas.

Marais e outros lugares

As (poucas) compras que fizemos acabaram ficando somente pelas grandes lojas mesmo, mas na região do Marais, e mesmo a Rue de Rivoli, tem muitas lojinhas pequenas que podem ser a festa de quem procura. No Conexão Paris tem muita coisa sobre estas lojinhas, então vale passar lá.

Agora: cuidado com os valores… a sephora até parece que valeu, mas roupa em Londres é muito mais barato, algo que eu realmente não esperava. Estando em viagem para as 2 cidades, deixe as compras para Londres (exceto maquiagem, esta pode ser aqui mesmo).

Eletrônicos

O único eletrônico que comprei foi um ipad novo na Fnac para um amigo. No final, o preço até que parecia um pouco mais barato que no Brasil . orém, havia mais 6,38% de imposto no cartão e mais uma vez o governo brasileiro trabalha contra a gente. Com o imposto e a conversão da moeda, em reais o ipad ficou o valor de um comprado no Brasil mesmo – só que lá pagando a vista…

Assim, eletrônicos precisa pensar bem antes de comprar… talvez na Inglaterra valha a pena, mas no final, só os EUA são realmente muito mais baratos.

Anúncios

Compras em Londres

Como fui com a esposa e a filhota, acabei reservando um período para compras. A verdade é que, com 1 libra = R$ 3,6 eu não esperava comprar absolutamente nada, mas mais uma vez fui surpreendido com o ‘custo-Brasil’, porque até Londres é mais barato comprar roupas que em São Paulo. Impressionante! Mas vamos lá:

Busão londrino

O roteiro base foi este aqui. A partir da London Eye pegamos um ônibus que descia a Oxford Street inteira, até seu início em Marble Arch.

Para entrar no ônibus com o carrinho seria tranquilo, não fosse o primeiro não ter deixado a gente entrar porque as 2 vagas para carrinho/deficiente já estavam ocupadas. Ao tentar entrar no segundo e também ser recusados, resolvemos pegar a Isabeli no colo e dobrar o carrinho, que pudemos entrar sem problemas. E aí fomos conhecer o trânsito londrino: o pedaço entre o Parlamento e Marble Arch tinha só umas 7 paradas, e ainda assim levamos quase 1 hora percorrendo. Depois da agilidade do metrô, vi que era melhor não pegar muito ônibus… por outro lado, foi bom para vermos onde estavam as lojas em Oxford Street.

Primeiro ônibus na vida da Isabeli

Comprando

Seguindo o roteiro, a parada inicial era na Primark. Porém, a Isabeli tinha que comer: ali no fim da rua tem esta grande praça/jardim com vários banquinhos, perfeitos para mamada e mesmo para trocar a pequena… o gramado poderia ser até melhor, não estivesse um dia de tanto sol.

Se reforçando antes das compras

Primark é bem pertinho dali; é uma enorme loja de roupas, com diversos andares. A gente não estava esperando comprar muita coisa, nem tinha separado muito dinheiro para isto, mas roupas a 5, 7, 10 libras… e de boa qualidade, não tem como não se empolgar. Mas para não me arriscar muito no bolso, deixei as compras só para as mulheres.

Subindo pela Oxford Street são várias banquinhas vendendo souvenires (uns cachecóis de pashmina fizeram a alegria das mulheres da família na volta) e claro: H&M, Disney, perfumes…

O único problema que tive nestas lojas é que, por mais que estivesse um calorão do lado de fora, dentro das lojas era ainda mais quente – eu sempre saia totalmente suado! Isto acabou incentivado a tomar uns sorvetes muito bons no caminho 🙂

Compras para Bebê

Na primark até tinha coisas para bebê, mas depois de 1 hora procurando, não era muito… compras mesmo foi na Zara. Na parte feminina nem tinha muita coisa com bom preço, mas na Zara Baby foi uma festa. Principalmente compramos roupa para mais de 1 ano, já que era muita roupa de calor (e no Brasil era inverno)- a partir de 30 reais casacos lindinhos. E também um monte de camisetinhas (3 libras cada), babadores e outras roupinhas mais simples, para aproveitar na própria viagem ou ficar em casa. No final, tinha tanta coisa na mão que a té a moça do caixa se divertiu. Ficou caro, mas se pensar que no Brasil ficaria pelo menos o triplo (ou mais), vale a pena.

Só cuidado que as roupas ali são menores.. .umas 2 camisetas de 6 meses já ficavam apertadas nela com 5… e olha que a Isabeli não é grandona.

Mas é isto: no final ainda tentamos passar em outras lojas, mas o principal foi este dia mesmo – compras agora só em Paris. Mas já adianto: para roupas, Londres é muito mais barato, pelo menos onde passamos.

Comprando em Orlando

Primeira coisa: comprar pela internet! Já fiz um post  que tem bastante dica de como fazer isto! E também novamente, um link com um monte de Cupom de desconto

Premium Outlet International Drive

Este já foi conhecido como Prime Outlet e a maioria o considera o melhor dos outlets, porque é o que tem mais opções. Antes de ir, acesse o site e se cadastre como VIP. Assim, ao chegar lá, é passar no centro de informações e pedir “discount coupons”. Se não tiver este cadastro, precisa pegar algum vale cupom no hotel, ou terá que pegar para ter acesso a estes descontos. Na verdade, acabamos nem usando quase nada, mas os poucos que usamos já valeram a pena.

Tem o mapa, mas no próprio centro de informações pode pegar uma revistinha com o mapa dos 2 outlets. Ele fica na “4951 International Drive” e dá para ficar o dia todo sem problema nenhum. Chegamos umas 10h00, e já estava cheio… e ficamos até as 19h00.

Para criança tem um monte de lojas, mas a que realmente compramos foi novamente a Carters (que nos rendeu um monte de cupons para uma última passada). Aliás, agora em Janeiro fomos em uma Feira do Bebe e em uma das lojas havia umas roupinhas que pagamos R$40,00, porém custando 120 pilas… Deu até vontade de ter comprado mais coisa hehe

Disney Outlet

Para comer, tem um monte de fast food ali mesmo, bem barato – só vale tentar evitar os horários mais cheios, porque realmente lota demais.

Premium Outlet Vineland

Mesmo esquema: aproveite o cadastro VIP e já imprima para os 2 lugares, para poder pegar desconto em ambos. O site é este e acho que tem menos lojas que no outro outlet, porém as lojas parecem ser maiores. Prá gente, o melhor foi ter uma Toy´s R Us ali também. Para imprimir os cupons, imprima 1 por pessoa – em algum dos outlets eles realmente olharam o nome e não entregaram quando viram que eram 2 com o mesmo nome – por sorte, tinha outro com nome diferente

Fica na “8200 Vineland Avenue” e tem um mapa de lojas aqui E aqui tive uma das grandes decepções da minha vida gastronômica 😀 Quando era muleque, vi o filme O Demolidor, com Stallone e Sandra Bullock. No filme a única cadeia de comida que existia era a Taco Bell(que deve ter pago uma fortuna) e desde aquela época eu era doido prá experimentar o tal Taco(provando que o merchã funcionou). Finalmente tive a oportunidade aqui e…. que coisinha sem graça e mixuruca! Realmente: poucas coisas são como a gente espera hehe

Descansando depois da labuta

Florida Mall

Pelo que vi, o Florida Mall é o terceiro ponto de compras do pessoal, e vale a pena conhecer. Neste aqui também dá para pegar papel para cupom de desconto. Mas o que gostei mesmo foi da  “M & M´s World“; nem sou muito fã destes chocolatinhos, mas a loja é tão linda e tão cheia de coisa que é impossível não pegar um saquinho e comprar uns chocolates, ou comprar o carrinho do m&m, o cofrinho do m&m ou seja lá o que for do m&m. É muito legal mesmo!

M&M da Liberdade

Teto

...e parede cheios de M&M; tem como resistir?

Saindo do Florida Mall, passada na enorme Best Buy que tem ali perto e rumo ao

Mall at Milenia

O shopping caro da região. Nem pretendia passar ali, mas estávamos num dia ‘livre para comprar o que falta’ e lá fomos. O Mall at Millenia é bom pelo passeio, mas valeu mesmo foi pela loja da Lindt. Não existe maior tentação na face da terra – e não se fala mais nisso!

Detalhe: esta é a única loja exclusiva deles em Orlando, mas só ela já é motivo suficiente prá ir neste shopping.

Saindo dali, já 3 da tarde, queria almoçar no Olive Garden; coloquei no gps, tirei o carro e me mostra ‘0,1 milhas‘. Olho prá fora e… lá está o Olive garden! Foi muuuuito engraçado, pois eu nem sabia que havia um no Florida Mall. Lógico que ficamos por ali mesmo e o almoço é simplesmente expetacular. Uns pãezinhos maravilhosos, salada (enorme) incluída e com repeteco e o prato principal cada um com uma massa diferente(só não vá acreditando que 1 prato dá para 2, que ali não dá). Total da conta em 3 pessoas: U$45,00, já com a gorjeta. Só me arrependo de não ter ido outro lugar, para repetir a dose.

Olive Garden - meu favorito da viagem

Enxoval

Só citei alguns dos pontos – mas ainda tem os wallmarts(para cosméticos, ou protetor solar fator 70); tem as best buy e para nós, tinha a Babys R us Porém, como já escrevi, acabou que um monte de coisa era mais barato na Amazon – mas só vi o quanto mais barato que o Brasil estes dias. Nesta feira aqui em Sampa encontramos um ‘tapete de atividades’ que pagamos 70 doletas, estava há R$ 320.

Claro que tem coisa que não vale trazer, como por exemplo os jogos de cama com edredon, lençol e um monte de coisa, o preço no Brasil é praticamente o mesmo, e é tão grande para trazer que vale comprar por aqui. Também um daqueles ‘berços portáteis‘ estava praticamente a mesma coisa daqui.

Já o carrinho, como contei no primeiro link de compras, vale se for comprar tudo – babá eletrônica também é uma ótima pedida por lá… enfim: as roupinhas lá são bem mais baratas que aqui, mas é no restante que realmente vale a pena o custo – além do que falei acima: mamadeiras, chupetas, cremes…

Outras dicas

  • Tenho lido muito relato de roubo por lá. Vc deixa suas coisas no carro, volta para o shopping e ao voltar ao carro, levaram as malas. Para evitar isto, umas 2 ou 3 vezes que eu deixei as coisas no carro, saia com ele e parava em outro lugar. Isto é possível fazer de manhã, mas depois de um tempo é quase impossível achar nova vaga em lugar um pouco mais longe; infelizmente quando chega neste ponto, tem que se virar com as sacolas mesmo.
  • É muito útil ter carro. Não só para você poder chegar ao outlet ou aos parques, mas para poder carregar tudo de volta para o hotel depois, o carro é extremamente útil. Além do mais, um aluguel de um compacto (com 3 meses de antecedência) não costuma passar muito de U$ 30/dia – ar condicionado e automático, claro… se pensarmos que no Brasil não vai gastar menos que 150 num modelo inferior, dá prá ver que vale a pena (mas cuidado! sem antecedência, isto pode ficar bem mais caro e aí tem que ver se ainda vale).
  • Cuidado com loja de eletrônico ‘genérica’ – li em vários lugares que estas lojas tem muita enganação e produto falso, então prefira a Sony, Best Buy e outras conhecidas… é: isto não é privilégio nosso.
  • Tente fazer 1 dia para cada dos 2 outlets principais e um terceiro para ver o resto… no dia que for em Animal Kingdom, Sea World ou nos parques da Universal, dá prá emendar nos wallmart também, caso precise de algo.

Sites

Viaje na viagem tem 2 links muito bons onde o pessoal lotou de dicas: Estratégia de visitas e principalmente “melhor para compras”

Nos fóruns do Viajando Para Orlando tem tópicos exclusivos para compras, separados em feminino, masculino, bebês e outras coisas. Também ali tem comentários sobre como passar pela alfândega e mais um monte de coisas extremamente úteis que vale acessar.

Por último, deve ser a terceira vez que escrevo: aproveite bem as compras, mas veja o máximo possível de coisas pela internet para entregar no hotel (ou pegar na loja, caso de best buy e wallmart). Assim, sobra mais tempo prá ficar procurando roupa e calçado em lugar de unicamente eletrônicos e blurays(meu caso)

Sim, planejar uma viagem para Orlando exige bastante trabalho – mas acho que planejar só não é mais divertido do que a viagem propriamente falando

Preparando para Orlando

Orlando tem coisa demais para ver antes de sair de casa, então resolvi passar pelo menos o básico, especialmente sobre os parques…

Resolvendo o roteiro

Parques da Disney, os principais são os 4 mais conhecidos de todos: Magic Kingdom, Animal Kingdom, Hollywood Studios e Epcot Center. Parques da Universal são 2: Universal Studios e Island of Adventures. Do grupo SeaWorld: Sea World, Discovery Cove e Busch Gardens. Estes 9 parques são só os mais conhecidos. A Disney tem mais 4 parques aquáticos, Seaworld tem mais outro aquático também. Ainda temos a Legolândia. Os 4 da Disney, Universal e Seworld precisam de 1 dia exclusivo – nada de dividir 2 parques num dia (é loucura – apesar que já vi relatos de gente fazendo isto), ou de emendar compras no parque…

Disney

Para compras: são 2 grandes outlets do grupo Prime, o Florida Mall, Lake Buena Vista Factory Stores (que parece outlet também). Mais alguns outros shoppings, lojas de eletrônicos e diversas lojas de fábrica. Pelo menos nos outlets, o ideal é ficar 1 dia inteiro em cada (isto vindo de quem acha compra um porre!!).

Não podemos esquecer que ali pertinho tem a Nasa e foguetes, viagem a lua, espaço… sempre vale a pena – mas é preciso outro dia completo.

Cabo Canaveral

Além de tudo isto, tem mais um monte de coisas menores, que chamam a atenção: Gatorland para atividades ao ar livre, Ripley´s Believe it Or Not – museu do programa “Acredite, se quiser”; Wonder Works uma espécie de “Casa muito engraçada, não tinha teto, não tinha nada“; para quem gosta de Titanic, tem passeio de balão… dá para ir até Daytona ver corrida de fórmula Indy. Enfim: tem muita coisa além dos parque para fazer, e precisa tomar cuidado na programação!

Indo com a esposa grávida e minha mãe, foi fácil descartar o Busch Gardens – mas os parques da Universal, que também são radicais, eu tinha que ir. Ficando 13 dias inteiros, reservei 8 dias para parques, 3 prá compras e outro para a Nasa. Ficou 1 dia livre para o que tivesse vontade, ou se faltasse algo – ou mesmo para ficar no hotel, se fosse o caso.

E ainda tem as noites, com NBACirque du SoleiulBlue Man Group, que são os principais ‘eventos’. Os shows são em Downtown Disney e Universal Citywalk – e neles ainte tem seus diversos restaurantes (como Planet Hollywood e o “Maior Hard Rock Cafe do mundo”) e outros programas (quem quiser balada, só no Citywalk mesmo)

Comprando as entradas

Tem muito lugar que vende entrada, mas rapidamente vi que comprar em agência no Brasil pode ficar mais caro que comprar por lá. No final, o que encontrei de mais barato tanto para Disney, quanto para Universal, foi Undercover Tourist O único problema: você tem que pegar com eles, só podendo ir de segunda a sexta. Eu ia chegar no fim de semana… Assim, como nos outros sites não encontrei nada mais barato que nos parques diretamente, comprei no site de cada parque (só fique ligado: comprar pela internet, mesmo no próprio site da Disney ou Universal, é mais barato do que comprar na bilheteria). Mas se puder chegar mais cedo e passar 1 dia antes no Undercover para pegar as entradas, é super recomendado. Também vendem diversos outros ingressos, como para o La Nouba e NBA.

Disney

Há um monte de tipos de diferentes entradas. Você pode comprar 1 dia de parque, 2 dias, … até uns 14 dias. Se comprar 1 dia, paga U$85, já se for 10 dias, paga-se U$290, dando menos de 30 dólares por dia. Além disto, pode escolher 1 parque por dia, ou mais parques por dia (mais caro, e não recomendo). Estes ingressos são pelo numero de dias, não importa qual dos 4 principais você vá. Se quiser incluir os aquáticos, tem lá o valor. Nós reservamos somente 4 dias, mas comprei o de 6, porque a diferença era pequena. E foi muito útil, porque voltamos um 5º dia. Site

Foto Claaaaaassica

Para comer, vale MUITO usar o próprio site para verificar as opções e fazer possíveis reservas. Como só tinha quase lanche em todos, achamos por bem reservar restaurantes e comer decentemente – afinal, eram muitos dias para ficar só a base de fast food. No site da Disney você cria um usuário e faz as reservas pelo numero de pessoas e horário. É bem intuitivo, e você tem acesso também aos menus, valores e tudo mais, para ter uma ideia de onde reservar. Faça a reserva com uns 3 meses de antecedência em alta temporada – reservei com 1 mês mais ou menos e estava bom, mas Novembro ainda não é alta…. digo que no geral valeu bem a pena a reserva, apesar que somente em 1 dos 4 que fomos eles não estavam atendendo sem reserva – mas nos outros, a reserva pula bastante fila.

É ali também que você reserva para os jantares ‘temáticos’, como do T-Rex e Planet Hollywood – que reservei 2 meses antes e já foi dificil achar horário… Em resumo: faça reserva para comer melhor nos parques, e se quiser jantar em algum lugar especifico. É gratuito mesmo, então vale a pena. É só acessar o site e ir para ‘reservations‘.

Universal

Aqui é mais fácil: você compra 1, 2 ou mais dias – são somente 2 parques, então fica fácil comprar 2 dias – lembrando que se quiser fazer 2 parques num único dia, tem a tarifa extra…

Para comer, você tem que reservar diretamente no restaurante. Porém, aqui eu fui sozinho em 1 parque e no outro só com a Mima, então não reservamos nada e ficamos nas besteiras mesmo. Só Fast Food é dose, mas de vez em quando dá prá aguentar bem.

Universal Studios

Bemvindo a Hogsmeade

Tanto para Universal quanto para Disney, vale acessar o Falando de Viagem que tem lista de restaurantes, reviews de alguns deles e lista de fast foods também.

SeaWorld

Este o Undercover que indiquei acima não costuma ser mais barato. Assim, vá direto no site deles. Para quem for no Discovery Cove, melhor comprar diretamente com eles. E indo lá, tem que fazer o mergulho com os golfinhos. Em Novembro ficou em U$199,00 + impostos a entrada do parque com o mergulho – parece caríssimo (e é mesmo), mas o Discovery tem todas as refeições incluídas(desde o café), tem diversas barraquinhas com bebida e salgadinhos o dia todo, incluidos também. E dá direito a 14 dias de Sea World ou BuschGardens (ou os 2, por uma tarifa extra). Colocando tudo no papel, acaba não ficando tão caro assim. Não pode esquecer que o Discovery é com dia marcado, então tem que reservar bem antes – em alta temporada, falam em no mínimo 1 mês antes.

Comendo no Discovery é no restaurante e nos quiosques, enquanto no SeaWorld tem vários lugares para escolher, então não precisa se preocupar muito.

Shamu.

É isto.. vou tentar falar um pouco dos parques(mas não muito, que já tem um moooonte de lugar sobre isto) e também sobre as compras, claro! Só tenho que fazer isto rápido, que afinal a familia vai crescer em breve 🙂

Miami – geral

Como sempre, antes de passar para a próxima página, alguns tópicos mais básicos, e gerais:

Transporte

Carro é imprescindível! Sim, até daria para se virar de transporte público se a viagem ficasse somente em South Beach, mais algum city tour – mas para ir até o outlet vai precisar de veiculo próprio, nem que seja para carregar as malas.

Também o transporte público, que sempre foi tão útil em outras viagens, em Miami é bem complicado (o Frommer´s se referem ao MetroRail deles como MetroFail). Para ter uma ideia, a ida do hotel até Bayside Marketplace de carro foi 30 minutos, enquanto pelo google de transporte publico seria bem mais de 1 hora – assim fica dificil…

Para estacionar, em vários lugares há parquímetros – nos mais modernos, podendo usar mesmo o cartão de crédito (muito bom para não ter que ficar carregando moedas). Perto de South Beach havia mesmo o que parecia ser um estacionamento, mas todas as vagas dentro dele tinham cada uma seu parquímetro também.

Paradas de 1 ou 2 horas, penso que o parquimetro é ideal – mas não são tantas vagas assim. Quando não achar vaga, ou também para estacionar por mais tempo, vale procurar estacionamentos públicos – há vários de até 2 dólares, e mais uma vez o Falando de viagem tem uma lista legal de lugares para estacionar.

Hospedagem

Hospedar em Miami é complicado… lugares perto da praia são um tanto mais caros, e mais tem que pagar uma taxa extra(e geralmente bem pesada) para deixar o carro. Se ficar um pouco mais longe você consegue melhores preços, mas continua a taxa de estacionamento. E esta tarifa é complicada mesmo -encontrei alguns hoteis com bom preço, mas com o estacionamento ficava meio complicado.

Ao fim, mesmo sem gostar tanto da ideia, resolvemos ficar longe da parte turística, mas onde dava prá bancar sem ir a falência. Ficamos perto do aeroporto – e posso dizer que por mais que pareça ruim a primeira vista, valeu a pena!  Não pela região, claro… já que normalmente não há nada por ali e até para sair a noite tem que pegar o carro, mas ao menos estávamos bem centralizados, não paguei tão caro assim, e apesar do medo do barulho, nem ouvi avião nenhum por lá.

Como viajamos durante do dia tanto na ida quanto na volta, chegamos de noite e a volta seria pela manhã. Assim, teríamos que usar 3 hospedagens, então aproveitei para ficar em 3 hotéis diferentes. Aqui vão, valores já com os impostos, e nenhum deles cobrando extra pelo estacionamento:

*Holiday Inn Miami Doral Area

Holiday Inn (assim como Hostelling International) é uma rede básica e muita gente foge deles, mas os que fiquei sempre foram de bom nível – talvez estar acostumado a dividir o quarto com um monte de gente em albergues ajude a achar tudo ótimo também 😉 O fato é que o HI Doral  é um bom hotel, ficou em U$85 o quarto para 3 pessoas, pelo www.hotwire.com (já falei como gosto deste site?). Pelo google maps parecia ser muito mais perto do aeroporto do que realmente era, mas dirigir pela primeira vez um carro automático, sem gps, num lugar totalmente desconhecido, de noite, pode ter feito parecer uma viagem bem mais longa.

Como chegamos tarde e saímos cedo no dia seguinte, só posso avaliar o quarto em si, que era muito bom e bastante espaçoso… Também o pessoal da recepção, que sofreu comigo procurando minhas encomendas. Isto porque, como mencionei em algum post anterior, já tinha programado para chegar minha primeira compra da Amazon, com a máquina de fotografia e o GPS (e sem gps em Miami, dá para ficar doido). Demoraram um pouco para achar, mas acharam.. ufa! Mas foi um susto esta demora hehe

Café da manhã não tem do hotel, mas há um restaurante ali mesmo que tem bastante opção e nem sai muito caro. Enfim: é um bom hotel.

*Hostelling International Miami Springs Airport

Este HI Miami Springs foi de longe o melhor dos 3 em Miami, e por sorte foi o que ficamos 5 noites.

Como ia ficar bastante tempo, não arrisquei o hotwire e peguei pelo www.hoteis.com ficou em 99 dolares cada quarto bastante espaçosos, com wi-fi no quarto (aliás, wifi já é bem mais importante que café da manhã – mas é impressionante como no Brasil é dificil) e um café da manhã bastante decente incluído.

Para a janta, ficava ao lado de um iHop e para os saudosos, tinha McDonalds também pertinho (aliás, fui uma noite nele e só tinha brasileiro). Se voltar a Miami algum dia novamente, é grande a possibilidade de ficar neste aqui.. gostei mesmo!

*Hampton Inn

Pela primeira vez, tive problemas com algo reservado no hotwire – chegamos ao Hampton Inn numa chuva animal, depois de uma viagem bem longa de Orlando (com parada no Sawgrass, não podemos esquecer), e ao ver a reserva, eles tinham marcado somente 2 pessoas – a cama extra só chegou umas 2 horas depois que já estávamos hospedadados.

Mas muito pior: era quarto para fumante (nem sabia que isto ainda existe) e aquele cheiro horrível foi péssimo para conseguir dormir – fora que só o fato de termos dormido naquela cama já impregnou as roupas. No hotwire realmente não especificava que tipo de quarto seria, mas a falta de vontade para  sequer tentar trocar de quarto para não fumante era enorme – sempre citando que era reservado pelo hotwire, como se negativo. Se fosse ficar ali mais tempo, ia ter arrumado bagunça, mas como foi só 1 noite acabei deixando. Foram 88 dólares(contra 230 no site) que não valeram a pena, e podiam ter sido usados em qualquer dos outros 2 de Miami.

O ponto positivo: 6h00 da matina estávamos começando a arrumar as coisas no carro, e já estavam preparando o café da manhã, então ao menos não tivemos que comer nada no aeroporto(o que, graças as quase 3 horas só na fila do checkin da TAM, teria sido impossível – mas isto é outra história)

Para um monte de hoteis, Viaje na Viagem

Outros

Os passeios de Miami já falei – eu faria de novo com certeza Everglades, e a passada em South Beach é imprescindível – principalmente pelo clima (minha esposa não concorda – ela achou a beach linda, e acha que a praia já vale por si só). Mas mesmo Miami sendo usada pelos brasileiros principalmente para compras, ainda há muito mais coisas a fazer.

Por exemplo, tinha planejado passar no Zoológico – pode parecer bobo, mas o Zoo de Miami é muito bem cotado em todo lugar, e parece ser realmente muito bom. Outro lugar no mesmo nível é o Seaquarium  Claro, em Orlando tem SeaWorld e DiscoveryCove, mas se ficar só em Miami, creio que vale muito a pena.

Mantendo ainda nos animais, Jungle Island também parece fantástico. E ainda há um monte de museus (reclamei com a Mima que foi das pouquíssimas viagens em que não fui em Museu… é muito triste isto :P).

Enfim: eu particularmente não fiquei apaixonado por Miami, não é um lugar que voltaria para tirar férias (já compras, é outro papo), mas uma passada no Trip Advisor faz a gente ver que tem muita coisa para se fazer por lá além de usar o cartão de crédito

%d blogueiros gostam disto: