Campeooooooooones

Só percebi que estaria em Madrid na final da copa umas 2 semanas depois de comprar a passagem. Daquele momento em diante passei a ter 2 seleções do coração – 3, se contarmos o Uruguai. Quase sofri mais na derrota da Espanha na estreia do que quando o Brasil ficou de fora. Mas todo mundo já sabe a história.

No sábado já dava para sentir o clima. Primeiro, o monumento na Plaza de Cibeles estava embrulhado na bandeira. Depois, a disputa de 3º lugar no Mercado. Então domingo, 90 min antes do jogo, fui em direção a Puerta del Sol para ver a torcida. Dali até Plaza de Cibelles são poucas quadras, mas os carros tinham que tomar muito cuidado, dada a quantidade de gente passando. E quanto mais perto da Praça, mais gente e mais barulho. Todos gritando ‘Y VIVA ESPAÑA’.

Plaza de Cibeles pronta para a Final

Plaza de Cibeles pronta para a Final

O que eu não esperava era taaaaanta gente. Cheguei no 1º telão e não tinha nem como chegar perto. Assim, vamos seguindo a muvuca pelas ruas laterais, e passa 1, 2, 3 telões sem lugar – e cada telão tinha umas 2 quadras super-lotadas de gente. Gente em cima das árvores, nas barracas da região, até em cima de banheiro químico tinham uns malucos. Finalmente, uns 6 telões depois, e já perto do 7º, achei meu lugar. Não fazia ideia de onde estava, mas dali não sairia.

O JOGO
Lendo depois na internet, só vi comentários de como foi um jogo chato, sem graça, difícil de se ver. Pois para mim foi um jogo emocionante. Não dava para ouvir nada e mesmo o telão mal se via, mas cada tentativa de chegar a frente era uma loucura. Cada defesa de Casillas, corte da defesa.. um desespero. Só tinha ficado nervoso assim quando o São Paulo disputa suas finais. O pior eram as botinadas (e os holandeses bateram bastante neste dia). Mas a cada momento, recomeçava a farra, ‘y viva españa’, ‘somos campeones’, bandeiras, cornetas, a famigerada vuvuzela…

Tensão total

Tensão total

Até que, quando todos já estavam roucos de gritar, desconsolados por ter jogado melhor e não fazer gol, cansados de xingar o juiz – veio a expulsão. Parecia que era gol!! A festa foi gigante, junto das reclamações por demorarem tanto. Mas não adiantou, continuou tudo igual e os pênaltis estavam já na porta. Foi quando, praticamente no último minuto!!

GOOOOOOOOOOOOOOOOOOLLLLLL

GOOOOOOOOOOOOOOOOOOLLLLLL

Eu estava com a máquina na mão tirando foto e ao mesmo tempo sendo abraçado por gente com quem sequer compartilhei alguma palavra na vida. Acho até que machuquei alguem com a máquina – mas quem se importa?  Os ultimos minutos foram um misto de alegria e desespero para acabar logo. Quando finalmente terminou, o mundo explodiu de vez. Tinha cerveja sendo jogada prá cima (ok, era liquido e estava gelado…), todo mundo pulando abraçado… foi uma festa impressionante. O povo só começou a dispersar quando acabou a transmissão, depois de receberem as medalhas e levantarem a taça.

Só então vi como estava longe.. andei algumas quadras até achar um metrô, e era quase impossível entrar. Depois de conseguir perguntar para alguém, descobri que estava há uns 2 km da Plaza de Cibelles, e tinha uma boa caminhada até o hostel – mas foi ótima. Nesta 1 hora de caminhada, tinha gente pagando promessa no meio do caminho(tudo bem que macho sem cueca no meio da rua não é algo interessante), outro em cima de poste, até uns imitando remadores, sentados no meio da avenida.

Festa em Madrid

Festa em Madrid

Uns 5 grupos – nem ideia do que seja aquilo, mas ficou legal. Farra em todo lugar – e como o hostel fica bem pertinho da gran via, a festa foi até chegar ali!
Soube no outro dia que na hora do jogo (20h00 locais) fazia 38º, mas como escrevi no twitter: não havia melhor lugar no mundo para estar naquele momento que em Madrid.

O outro lado
Lá no meio da viagem encontrei um grupo de chilenos que estavam em Amsterdã na final. O que eles comentam é que a festa foi linda, com helicópteros jogando flores na torcida e coisas assim – e após o jogo o pessoal voltou muito triste para casa, mas ao contrário do Chile(e Brasil, devo dizer), foi tudo muito civilizado e bem comportado.

As diferenças.
* Como todo mundo com mais de 30, vi 3 finais de Copa no Brasil – mas aqui é diferente, sempre vi com a família. E apesar da festa ser grande, nós já ganhamos várias vezes. Lá, como nunca tinham ganho (e ainda tem a fama de amarelão) a festa foi simplesmente impressionante – uma escala muito maior. Gente do país inteiro foi a Madrid para poder participar da festa nas ruas.
* Ao final do jogo, tinham as buzinas, gritarias, a fumaça vermelha e tudo que estamos acostumados – mas não tinha fogos de artificio ou sequer rojão, algo tão normal aqui. Comentei com o pessoal do hostel e me responderam que, como é perigoso pegar fogo, ou machucar alguém, eles só usam estas coisas perto do litoral – mas não ali na cidade.
* Por último: fui dormir já eram quase 2, mas a bagunça ainda foi por bastante tempo. A sujeira era tanta que até foto tirei. Mas no dia seguinte, ao sair umas 10h00, a Gran Via estava quase limpa. Ainda cheirava urina, mas jamais diria que houve tanta sujeira apenas umas poucas horas antes. A organização do evento foi impecável!

Anúncios

Uma resposta

  1. […] o começo da viagem sabe que Madrid vai ser prá sempre inesquecível, principalmente por causa da Copa do Mundo , com a vitória espanhola. Além da cidade em si ser maravilhosa, ainda teve este clima de festa […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: